Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH parte 2)

Krismaira Rau Marcon

Psicóloga Infantil, Adultos, Casais e Família. CRP 12/04595 , Psicopedagoga e Psicogenealogista.

Ver artigos

O TDAH é um transtorno no desenvolvimento do autocontrole. Consiste em problemas no tempo em que a pessoa consegue sustentar a atenção e no controle dos impulsos e do nível de atividade.

Se reflete num comprometimento da vontade ou da aptidão da criança, adolescente ou adulto para controlar seu comportamento em relação à passagem do tempo, tendo em mente suas metas e consequências futuras.

                                                                   

Não é causado por uma falha dos pais em disciplinar o filho ou criá-lo de modo adequado, não é uma questão apenas de desatenção e hiperatividade, não é só um estado temporário que será superado na maioria dos casos, nem sinal de alguma falha moral da pessoa.

TDAH é um transtorno real e com muita resistência de pais e familiares de aceitar esse diagnóstico, pois a pessoa não apresenta nenhum sinal exterior de que há algo errado e nem ao menos marcador biológico (exame de sangue) que o confirme.

Apresentam-se saudáveis, inteligentes, criativos e mesmo assim, as pesquisas já mostram que há uma imperfeição no cérebro que causa a movimentação constante, o escasso controle dos impulsos, a dispersão e comportamentos compreendidos como intoleráveis na criança, jovens e adultos com TDAH.

Portanto, estamos falando de um transtorno de ordem neurobiológica, de causas genéticas  que afeta, dentre outras, as funções cognitivas (memória, percepção, linguagem, atenção), as funções executivas (raciocínio, planejamento, tomada de decisões, solução de problemas, auto controle, monitoramento), as funções emocionais, psicológicas e bioquímicas.

Continuamos na próxima semana, até lá!

Se cuide!