Últimas colunas de Sônia Pillon

O castelo

O calabouço era escuro e úmido. Uma pequena réstia de luz atravessava as grades da minúscula janela, lá no alto. Durante a madrugada, a janela também dava acesso aos morcegos, que faziam voos rasantes e ruídos de arrepiar o mais corajoso dos cavaleiros.

Por Sônia Pillon

O sarcófago do faraó

Por um momento, o arqueólogo fechou os olhos e ficou imaginando a sociedade egípcia em 1346 a.C, com o poder absoluto do faraó, seus sacerdotes, chefes militares, escribas, comerciantes, agricultores, pastores...

Por Sônia Pillon

O bobo da corte

Vestindo roupagem multicolorida, o espalhafatoso chapéu de guizos e carregando um saco nas costas, o bobo da corte finalmente chegou ao castelo de Jaga, no distante reino do Brail. Chegou chegando, como sempre fez, sorrindo e saltitando...

Por Sônia Pillon

Semear e colher

Terras férteis são sempre generosas quando há boa semeadura e cuidados com a germinação. Já as terras áridas desafiam e exigem, sobretudo, paciência...

Por Sônia Pillon

Reminiscências ao entardecer

Sentado na varanda, o aposentado mirava o horizonte, onde o sol se despedia e lentamente cedia espaço para a noite chegar. O movimento de vai-vem da cadeira de balanço combinava com o ritmo de suas memórias, entrecortadas e carregadas de nostalgia.

Por Sônia Pillon

O outro lado da ponte

Era final de tarde naquele gélido dia de inverno. Jeanne caminhava devagar em direção à ponte, absorta em pensamentos. Mirou o rio de águas turvas e calmas, se atendo à vegetação ribeirinha e às aves aquáticas que rumavam até a outra margem.

Por Sônia Pillon

A cerejeira dos mil anos

Resiliência. Ser resiliente é ter a rara habilidade de driblar o estresse do dia a dia marcando o gol da vitória da vida. É dar a volta por cima, se manter confiante. Resgatando forças do âmago do ser. Mantendo os pés firmes no chão, atravessando pontes, enfrentando tsunamis, terremotos, tempestades, furacões...

Por Sônia Pillon

Nada será como antes

Vivemos o grande desafio do século,  de desconstrução de uma realidade que há apenas alguns meses era inimaginável. Saímos da nossa zona de conforto "na marra". Mais que isso, fomos sacudidos violentamente com o surgimento do coronavírus e arremessados ao desconhecido.

Por Sônia Pillon

A incredulidade dos brasileiros com a pandemia

E o que significa na prática esse descrédito na letalidade da pandemia? É muito fácil constatar. Basta ver o comportamento descompromissado dos que insistem em fechar os olhos para os riscos de contrair a doença.

Por Sônia Pillon

Máscaras

O uso de máscaras como medida de prevenção ao Coronavírus passa a ser gradativamente adotado no Brasil, ainda que timidamente. Sim, porque a resistência tem sido maior. A incredulidade de muitos, que se negam a enxergar as evidências, preocupa. A ficha não caiu ainda para muita gente!

Por Sônia Pillon

Dias de pérolas

É interessante pensar que uma pérola nasce através de um processo de defesa contra corpos estranhos. Ao receber um glóbulo de calcário, uma pedra minúscula, uma concha de molusco se fecha e lentamente inicia o processo que gerará uma cápsula gelatinosa (...). Um processo semelhante a esse estamos passando no planeta.

Por Sônia Pillon

O homem da montanha

A barba comprida e grisalha, as roupas surradas, a despreocupação com a higiene pessoal, a aparência desleixada e a expressão carrancuda eram características que já denunciavam a personalidade de João Bonamigo. Ironicamente, apesar do sobrenome, era um homem que não cultivava amizades.

Por Sônia Pillon

NO MUNDO DA LUA

A tormenta - O tempo fechou para os lados da Praia da Ressaca. O dia virou noite em questão de segundos, anunciando o temporal. Em alto mar, os pescadores dos pequenos barcos olhavam o céu com apreensão, temerosos com a tormenta. Tinham saído para o mar antes mesmo do...

Por Sônia Pillon

NO MUNDO DA LUA

Ao escrever crônicas e contos, me sinto como se tivesse alçando voo, entrando em processo de alunissagem. Pisando na superfície lunar, pelas crateras, mirando o planeta azul? Sim, por um breve espaço de tempo, até concluir e ouvir o chamado da mente: Terra chamando! Terra chamando!

Por Sônia Pillon

NO MUNDO DA LUA

Folhas de outono - A mesa retangular estava ocupada de ponta a ponta por familiares e amigos. Devia ter umas 20 pessoas. Um grande bolo nevado em formato de escada redonda era coberto por cerejas e recheado com calda de chocolate e morangos, bem no centro da mesa. Em cima do bolo de aniversário, uma boneca de confeito representava... Leia mais

Por Sônia Pillon

NO MUNDO DA LUA

As aparências enganam. Quem não conhece esse ditado? Quanto mais passa o tempo, mais me convenço quão sábia é essa frase... Leia mais

Por Sônia Pillon

No Mundo da Lua 13.06.2019

A colecionadora de sapos - É comum as pessoas se tornarem colecionadores em algum momento da vida. Geralmente essa mania surge ainda na infância. Quem não lembra as coleções de figurinhas da copa do mundo, quando acontece um frenesi em busca deste ou daquele ídolo de futebol? Os pais se desdobram em atender aos pedidos dos filhos e até voltam a serem crianças nessa hora.

Por Sônia Pillon

No Mundo da Lua

Aceita um café com gatos? Pode parecer estranho para muitos, mas você sabia que no Brasil já existem cafeterias que adotaram o conceito Cat Coffee? Surgido na Ásia, mais precisamente no Japão, onde os bichanos circulam livremente pelas mesas e interagem com os humanos, essa nova tendência de mercado tem conquistado cada vez mais a parcela da população que se autodeclara apaixonada por gatos.

Por Sônia Pillon
1 2