Sentimentos sobre o coronavírus

Krismaira Rau Marcon

Psicóloga Infantil, Adultos, Casais e Família. CRP 12/04595 , Psicopedagoga e Psicogenealogista.

Ver artigos

Há 8 meses convivemos com uma pandemia que nos tirou dos trilhos, dos eixos e nos colocou a viver um novo caminho. Precisamos agora viver o hoje, mas também aprender que o futuro é questão de como você quer viver ele. Se queres estar lá, vives ansioso, se olhas com bons olhos, tem esperança, se tens medo, a única certeza é que se deseja que logo o fim dessa pandemia chegue.

E pra quê ela serve? Quais sentimentos o Covid aflorou em você?

Verifico a cada dia que há muitas situações que as pessoas não acreditem que serão contaminados, afinal, sempre tiveram gripe, bronquite, crises de pânico, rinite e sinusite, falta de ar, ansiedade, dores de cabeça. E se agora for Covid?

Alguns tem medo de sofrer e morrer, afinal encarar os estágios da doença, da virose, da inflamação é algo normal, o lance é chegar no extremo dos sintomas.

Mas também vemos casos de que todos vão pegar e se eu ir até a padaria rapidinho, no mercado e resolver pendências no centro não vai contaminar as pessoas, porquê “se não tô tão mal, mesmo com o exame nem sei se é mesmo!”

Precisamos reconhecer que a pandemia nos traz um momento de reflexão, do quê realmente vale a pena na sua rotina, nas tuas relações.

Se vai acontecer algo mais no nosso dia a dia, não sabemos, mas sabemos que enquanto não olharmos para estes sentimentos que estão nos aflorando, seja na convivência com as pessoas e dentro de si mesmo, o adoecer pode ser a escolha de alguns. Inconscientemente estamos no foco do olhar coletivo e familiar. Como pensa os seus, influencia o seu sistema imunológico e seu mental.

Te observe, te leve a sério, perceba o que sentes em relação a adoecer, ter Covid e se curar de corpo e mente.

Converse com quem já experenciou a doença de forma intensa e escute seus aprendizados.

Fique bem, se cuide!