POLÍTICA & POLÍTICOS

Celso Machado

Nascido em Blumenau, 68 anos, 53 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul).

Ver artigos

Proteção à mulher - Previsto no programa de governo de Cecília Konell/Irineu Pasold (2009/2012), algumas medidas de proteção e combate à violência contra a mulher não saíram do papel. A chamada Casa de Proteção à Família, com abrangência regional em parceria com o governo do Estado e prefeituras de Guaramirim, Massaranduba, Corupá e Schroeder, nem mesmo teve definida a cidade sede. Agora, o vereador Eugênio Jurazeski (PP) defende que a estrutura seja criada em Jaraguá do Sul, onde mais de 160 casos são registrados todos os meses. Nos moldes do que já existe em Joinville e São Bento do Sul. O próximo passo, segundo o vereador, é constituir uma comissão de trabalho em busca de soluções práticas.

Pânico 1- Em setembro desse ano entrou em fase de testes em municípios do Sul catarinense o aplicativo “botão do pânico” da Polícia Militar. Que permite o registro de ocorrências para vítimas de violência doméstica que possuem medidas protetivas contra o agressor. A ferramenta, feita para celulares, possibilita uma comunicação direta com a PM, segundo a corporação.

Pânico 2- A região Sul foi escolhida para testar o projeto por ter uma Central de Emergência com poucas perdas de ligações, uma rede de vizinhos bem sedimentada e rede de proteção à mulher com retornos preventivos. O aplicativo é parceria da PM com o Ministério Público de SC e o Tribunal de Justiça. Mas apenas os celulares com sistema operacional Android podem ter a ferramenta.

Sindicatos- No Brasil, com o devido registro legal, estão em atividades 16.922 sindicatos, federações e confederações de trabalhadores. Neste cenário Santa Catarina se destaca 1.167 instituições do gênero, bem à frente de estados mais populosos como Pernambuco, Ceará, Bahia e Rio de Janeiro. Há casos em Blumenau, na área têxtil, de dois sindicatos representando trabalhadores do mesmo setor e, até, um sindicato dos funcionários do próprio sindicato.

Me engana!- Deputados federais da região “comemoram” a aprovação do Pacote Anti-Crimes do ministro da Justiça, Sérgio Moro, quando ainda era juiz federal em Curitiba. Mas, pelo óbvio, escondem as mutilações que fizeram. É só comparar o documento original com o que foi aprovado dias atrás. Ou alguém acredita que a proposta de Moro teria 408 votos favoráveis entre os 419 deputados presentes à sessão sem mudanças?

O ex-governador Raimundo Colombo (PSD) esteve em Jaraguá do Sul para receber das mãos do coronel Amarildo de Assis Alves o diploma “Amigo da 12ª Região Militar”, criado por decreto do ex-governador Pinho Moreira em 2017. Entre as oito pessoas homenageadas estava o prefeito Antídio Lunelli (MDB), cuja gestão tem sido parceira do 14º Batalhão da Polícia Militar e o comandante geral da PM, coronel Araújo Gomes. Em 1986, a PM de Jaraguá do Sul passou à categoria de 3ª Companhia do 8º Batalhão, sediado em Joinville. Dois anos depois, em 1988, o então prefeito Durval Vasel materializou a doação de uma área no Bairro Nova Brasília, onde hoje está edificado o quartel da corporação. Também por decretos assinados pelo então governador Esperidião Amin (PP), foi criado o 14º Batalhão da PM (2001), e o que deu o nome de Tenente-coronel Leônidas Cabral Herbster (2002) à edificação. Herbster também exerceu as funções de auxiliar de delegado e prefeito nomeado (1946 e 1947).

Tucanos 1- Durante congresso nacional do PSDB em Brasília, no fim de semana, o ex-deputado Gelson Merisio assinou filiação. Abonada pelo presidente do diretório nacional, Bruno Araújo, pela presidente do diretório catarinense e deputada federal, Geovania de Sá, e o governador de São Paulo, João Dória Júnior, um pré-candidato a presidente da República.

Tucanos 2- Merisio mudou seu domicilio para Joinville e é apontado como candidato a prefeito em 2020. Tucanos descartaram candidatura do ex-senador Paulo Bauer, radicado na cidade desde a juventude e hoje à serviço de Jair Bolsonaro (PSL). Em 2010, com as bênçãos do “padrinho” Luiz Henrique da Silveira (MDB) fez 165 mil votos para senador. Em 2018, sem LHS, 65 mil.