O Coronavírus e a redução da renda dos brasileiros

Cristiano Mahfud Watzko

Graduado em Direito pelo Centro Universitário Católica de Santa Catarina, Pós-graduado (MBA em Direito Empresarial) pela SUSTENTARE - Escola de Negócios, com atuação na área de treinamento da Cassuli Negócios Corporativos.

Ver artigos

                Caro (a) leitor (a), no último final de semana, li uma notícia com o seguinte título: “Novo coronavírus reduz renda de metade dos brasileiros, diz pesquisa”.

            O artigo começava com as palavras que seguem: “Com menos de 30 dias de quarentena e em meio a um cenário em que a retomada do contato social ainda parece distante, mais da metade dos brasileiros já sente no bolso os efeitos da pandemia do novo coronavírus. Pesquisa do Instituto Locomotiva, obtida com exclusividade pelo jornal O Estado de São Paulo, aponta que 51% das pessoas afirmam ter perdido renda e que já estão contingenciando seus gastos”.

            Os dados da pesquisa concluíram que a faixa etária mais afetada são trabalhadores com 50 anos ou mais (52%), que possuem ensino superior completo (48%), e que residem nos Estados do Sudeste (38%). A pesquisa foi realizada entre 3 e 5 de abril e entrevistou, por telefone, cerca de mil pessoas em 72 cidades do País. A margem de erro é de 3,2 pontos porcentuais para cima e para baixo.

            Aqui neste momento quero citar na íntegra, o caso que li naquele artigo: “TV a cabo dividida. Na casa da chef de cozinha Juliana Menezes os efeitos da paralisação da economia foram sentidos quase que de imediato. Ela, que deixou a sociedade de um restaurante para cozinhar na casa dos clientes, conta que conseguiu migrar a maior parte da demanda para um serviço de entrega de marmitas, que vem fazendo desde meados de março. Já o marido, que é vendedor e nos últimos dois anos também trabalhava como motorista de aplicativos, praticamente zerou a renda. O prejuízo é calculado em R$ 3 mil dentro do mês. “Nunca tivemos poupança, não sobra dinheiro para isso. Saímos cortando os gastos”, diz Juliana, que reduziu a lista de supermercados, trocando, por exemplo, os alimentos orgânicos por produtos tradicionais. “Comida sempre foi meu ‘ralo’, onde gasto muito. Só nessa nova lista economizei por volta de R$ 1 mil”, afirma. O corte também avançou nos custos fixos de serviços, como na assinatura de TV a cabo. “Cancelei a internet, bati na porta do meu vizinho de cima e me ofereci para dividir a conta com ele”, conta. “Nunca tinha conversado com esse vizinho e só sabia que se chamava Oscar. Ele aceitou fazer um teste e está ótimo assim”, afirmou”.

            Este pequeno depoimento nos leva a várias reflexões e que quero deixar para que o (a) leitor (a) possa fazer durante o dia e nos próximos dias. Primeira: Vejam que a Juliana disse que trocando produtos orgânicos e que sabemos que grande parte da população brasileira nem tem condições financeiras para comprar, com isto, reduziu em R$ 1 mil seu custo fixo, mas devemos lembrar que muitos brasileiros, vivem com este mesmo valor que ela mencionou que economizou. Segunda: Foi necessário, uma crise, para que ela falasse com o vizinho e tivesse a humildade para partilhar custos, pois, era o único caminho que ela tinha, porque ela não fez isto antes? E você leitor (a), como tem agido com seus vizinhos, colegas de trabalhos e seu próximo? A resposta é sua. 

            Para encerrar, faço questão de repetir algumas palavras que escrevi alguns dias atrás no artigo anterior: “Na verdade, não sabemos como iremos chegar ao final disso, temos teoria de que iremos acabar muito mal, e temos teoria de que iremos passar por isto. Se o (a) leitor (a) me perguntar: “Qual a opinião deste que vós escreve”? Eu diria que não tenho a resposta, mas como gosto de estar no grupo das pessoas que acreditam que tudo vai dar certo e que iremos também passar por isso, tenham fé meus queridos leitores, iremos passar por isto. A maior certeza de que posso lhes dar é que depois disso estaremos mais fortes ainda”. Eu costumo dizer que gosto de acreditar no poder do ser humano de se reinventar, e principalmente que quando há união, cooperação, amor, perdão e uma inabalável força de vontade de fazer a diferença, o homem é capaz de superar qualquer crise, dificuldade, doença ou problema que há na sua vida ou no mundo, ou no caso, a humanidade irá passar por tudo isso e será melhor ainda.  

            Sinta-se à vontade para entrar em contato através do e-mail: [email protected]. Até a próxima.

Notas

Partidos buscam mulheres para se lançarem em campanha - Com o veto às coligações proporcionais, partidos políticos têm feito uma corrida interna para ampliar o número de mulheres dispostas a se lançar em campanha. Como a nova regra obriga a partir deste ano que cada legenda tenha, de forma independente, ao menos 30% de nomes femininos nas urnas, partidos que não alcançarem esse percentual vão ter de barrar homens na eleição. Se a cota feminina não for alcançada, a lista de homens terá de ser reduzida na mesma medida e a chapa será então proporcional. Em eleições anteriores, quando a cota do gênero já estava valendo, mas o veto às coligações ainda não, os partidos se coligavam e valia a média de candidaturas femininas do bloco. Na prática, uma legenda podia salvar a outra. Agora é cada uma por si. E além de estabelecer uma percentagem mínima de candidaturas de mulheres, as regras eleitorais determinam que os partidos destinem ao menos 30% de sua verba do Fundo Eleitoral para as campanhas femininas. A corrida por mulheres candidatas está acontecendo em todos os partidos.

Escola de gastronomia organiza duas oficinas - O Chef Gourmet, escola de gastronomia sediada em Jaraguá do Sul, está organizando duas oficinas para capacitação de interessados no universo gastronômico. No dia 22, o chef e professor Gabriel Leoni fala sobre melhores cortes de legumes e verduras para várias preparações e também como congelá-los. Já nos dias 28 e 29, é a vez de a chef Dominique Conceição ensinar aos participantes os segredos da preparação de ovos de Páscoa. As inscrições podem ser feitas pelos telefones (47) 9 9115-8506 e 3055-0679. Para saber mais, basta acessar www.escolachefgourmet.com.br ou seguir as redes sociais da marca.

Secretaria de Saúde promove audiência pública - Os resultados do último quadrimestre serão apresentados à população pela Secretaria de Saúde de Massaranduba na segunda-feira (24), a partir das 9h30min, na Câmara de Vereadores. O relatório dará também os números consolidados do ano. A audiência é o meio pela qual a comunidade pode acompanhar a execução da programação anual da saúde relativos a 2019 e os principais detalhes sobre recebimentos e aplicação dos recursos financeiros e prestação de serviços.

CARNAVAL – O Clube Atlético Baependi promove no dia 25, terça-feira, o carnaval infantil a partir das 14h, com animação do Dj Xalinho e tendo como atração o Robô Led. No local haverá food truck. Evento gratuito para sócios e não sócios a R$ 5,00. Até cinco anos é livre.

Centenário realiza a festa de rei e rainha - A Sociedade Desportiva Recreativa Rio da Luz II – Salão Centenário, realiza no dia 22, sábado, a festa de rei e rainha com baile, a partir das 18h com a concentração dos sócios e uma hora depois a busca das majestades, Muriel Cristo e Jehnefen Tonello (rei e rainha), Natalício Shimanski, David Horongozo, Cecília Schimanski e Tânia Fischer (cavalheiros e princesas). Aldoir Oldenburg será o comandante. O baile começa às 20h30min com a Banda GBD, posteriormente o Grupo Chama e para finalizar a noitada, o Grupo Talagaço. O valor por participante é R$ 35,00 com direito ao buffet, duas horas de bebidas livre (cerveja, refrigerante e água) e impresso para o baile. Quem for apenas para o baile pagará R$ 15,00.