Morri e estou renascendo

Krismaira Rau Marcon

Psicóloga Infantil, Adultos, Casais e Família. CRP 12/04595 , Psicopedagoga e Psicogenealogista.

Ver artigos

"Eu morri aos quarenta e poucos anos.

Eu morri quando percebi que se eu não busco as pessoas, elas não vêm até mim.

Eu morri quando soube que as pessoas se faziam presentes porque alguém as estimulava, meio que pressionava, para que se fizessem presentes.

Eu morri quando palavras duras, ríspidas, ofensivas começaram a fazer parte do meu dia a dia.

Eu morri quando quis voar e algo e/ou alguém te obriga a ficar aqui, porque é de sua responsabilidade.

Eu morri, também aos quarenta e poucos anos, provavelmente como algum dos meus antepassados também morreu, aí a Psicogenealogia explica.

Eu morri, para a mulher, irmã, mãe que me tornei com o tempo de convivência.

Eu morri e ou quem sabe uma parte de mim morreu, pois, não se sente feliz, motivada, animada em lidar com as necessidades do dia a dia.

Eu morri ou estou morrendo, pois, com o tempo me percebo indiferente, cansada emocionalmente e só querendo ficar sozinha, em silêncio, no intuito quem sabe, de me encontrar.

Eu morri e não quero mais ser a mesma, mesmo sem sonhos, desejo renascer ou nascer de novo. Quando? Como? De que forma? Ainda não sei.

Mas já aprendi, que ter aberto meu coração para uma psicóloga, me encarar no espelho e perceber o que os meus olhos refletiam, assumir minha dor, desabafar, chorar, recordar dos maravilhosos momentos da vida, silenciar a mente, compreender que a vida nos ensina constantemente, já me fez desejar renascer.”  SL

                                                     

2020 foi um ano pesado, com muitas novas necessidades, de mudar paradigmas, de focar nas prioridades, cuidar de si e dos seus.

Desejo que 2021 seja de muitas reflexões, aberturas de coração, entrega, humildade, coragem para lidar com o novo mundo, olhar para dentro, empatia, solidariedade, respeito, amor e muita saúde do corpo, da mente, do coração e da alma.