Meu pai, um guerreiro que descansou!

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

Certo dia, ele sugeriu que escrevesse sua biografia. Recusei! Como filho, não há como escreve-la. Haveria com certeza, muita descoberta, mas também, sentimentalismo e emoções, impossíveis de serem assimiladas. Não há tinta e papel suficiente para descrever a trajetória de luta e conquista de um pai. Seria injusto o bastante, beiraria o narcisismo aos olhos de outrem!

Mas, para nossa sofrida saudade, o italiano teimoso, um amoroso casca grossa, se foi! Sua energia dissipou-se e por aí está, tenho certeza! Cada palavra mais dura, cada gesto, por mais impetuoso que fosse, é como um cravo pregado em nossas consciências. Essa era sua maneira de educar, sem mais nem menos, embora iminente fosse o conflito. Foi assim, a moda antiga, que ele se despediu, e mesmo sem entender o porquê, e como uma luz que teima em não apagar, entregou-se finalmente ao infinito de sua existência.

A vida é bela? Depende da combinação das tintas de sua aquarela. A vida é amarga? Depende das sutilezas com que você a adoça. Porém, é finita. E, independe do que façamos, ou deixemos de fazer, porém, as nossas obras, nossas atitudes perante a sociedade, sejam o nosso legado. Assim viveu meu pai, José Hermello Marchi, o Zezo, nascido em 03 de agosto de 1935 neste município, e aqui falecido na plenitude de seus 85 anos de idade.

Órfão de pai aos 5 anos de idade, lutou bravamente por um ideal que foi conquistado passo a passo ao lado da esposa Hildegard, com a qual, criou e formou uma família de 6 filhos. Fundou a empresa Marchitex há mais de 50 anos, a qual vem sendo mantida pela família. Em sua vida social e comunitária, administrou por alguns períodos, o Grupo de Escoteiros Jacoritaba desta cidade. Foi atuante no conselho de administração da Paroquia São Sebastião, e destacou-se de forma atuante no Lions clube de Jaraguá do sul.

Sua vida pode ser considerada um divisor de aguas entre o passado de uma cidade que crescia a passos largos como ele, e o início do progresso que transformou este município. Era a seu modo, um visionário. São pessoas assim, que fazem e transformam. São pessoas assim, que vivem uma fantástica aventura, embora a morte, seja uma crueldade iminente. É um desígnio cruel, assistir o descortinar do palco, e o apagar das luzes ao final. Melhor, foi apenas viver intensamente, assim como fez, nosso pai!

 

                                                 03/08/1935 29/09/2020