Lunelli coloca seu nome à disposição do partido para concorrer ao governo do estado

Celso Machado

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul).

Ver artigos


Lunelli é pré-candidato

Todos os filiados do MDB terão direito a voto e, assim, o candidato a governador do partido, em 2022, será escolhido em eleição prévia. A decisão foi tomada em reunião do diretório estadual do partido na segunda-feira (22). O atual presidente e deputado federal, Celso Maldaner, o senador Dário Berger e o prefeito, Antídio Lunelli colocaram seus nomes à disposição para o embate nas urnas no ano que vem. O prefeito, na condição do pré-candidato, lembrou da importância de o partido assumir seu papel histórico de protagonista na política estadual. O MDB tem cerca de 185 mil filiados em SC, com diretórios em todos os 295 municípios do Estado

Sabel recupera mandato

O Tribunal Regional Eleitoral, acatando recurso e em decisão liminar, derrubou sentença do juiz Roberto Lepper, da 95ª Zona Eleitoral de Joinville, que havia cassado o mandato do vereador Sidney Sabel (DEM), por suposta contratação de mulheres candidatas (R$ 10 mil cada uma), apenas para preencherem a cota feminina exigida pela legislação eleitoral na eleição de 2016. Segundo o TER-SC, “não pode prevalecer o comando exarado pelo Juízo de primeiro grau (efeitos imediatos)”.

Vereador fica

Diz, ainda, o parecer do TRE, que “o vereador eleito não pode ser afastado de seu cargo de forma precária, sendo substituído por quem sequer teve votos suficientes para se eleger”. Nem tanto, diga-se. O suplente, Ednaldo José Marcos, autor da ação junto com seu partido, o PROS, obteve 2.287 votos. Sabel fez 2.514. Com a decisão do TRE, o vereador do DEM se mantém no cargo até o julgamento final da ação. É o mesmo caso do vereador Osmar Vicente (PSC). Segundo o juiz Lepper, três mulheres foram registradas para concorrer, mas não fizeram campanha.

O ministro

Repetidas vezes, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, garantiu que até final de julho, começo de agosto, os Estados receberão 230 milhões de vacinas contra a Covud-19.  Do total, levando em conta negociações ainda não fechadas para compra de 30 milhões de doses da vacina russa Sputinik V; 20 milhões da Covaxin trazidas da Índia e 10 milhões da  Astrazeneca.

O Butantan

E, repetidas vezes, o Instituto Butantan tem dito que, no caso da Coronavac, a mais usada até agora e produzida no país, não há estrutura e nem mão de obra suficiente para produzir e envasar tamanha quantidade de vacinas neste espaço de tempo. Então, acreditar em quem? No Butantan, uma instituição pública do governo de São Paulo?

 

Garcia de volta à AL

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal acatou reclamação feita pela Assembleia Legislativa sobre a decisão da 1ª Vara da Justiça Federal de Florianópolis, que há pouco mais de um mês suspendeu o deputado Júlio Garcia (PSD) do exercício do mandato e das funções legislativas.  A decisão permite que Garcia, até então em prisão domiciliar, volte a exercer o mandato de deputado. 

Influência

Segundo a juíza federal Janaína Cassol, “os crimes praticados (por Garcia) têm relação direta com a sua influência política, mesmo sem nenhum cargo [entre a aposentadoria junto ao Tribunal de Contas do Estado e a eleição para deputado estadual). Aos menos R$ 500 milhões teriam sido pagos pelo governo para as principais empresas de tecnologia por cerca de 10 anos.

Roubo dividido

A suspeita da Polícia Federal é de fraudes que ultrapassam os R$ 50 milhões. O dinheiro dos processos licitatórios era desviado, segundo a PF, por empresas de fachada, suspostamente de consultoria. E sacado diretamente na boca do caixa para ser repartido entre os integrantes da suposta organização criminosa.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!