Lucas Esmeraldino é a terceira baixa do Governo Moisés

Celso Machado

Nascido em Blumenau, 68 anos, 53 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul).

Ver artigos

Lucas Esmeraldino, secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável, é a terceira baixa do governo de Carlos Moisés, seguindo os passos de Douglas Borba (Casa Civil) e Helton Zefferino (Saúde). Exonerados dos cargos depois do escândalo envolvendo a compra de 200 respiradores por R$ 33 milhões, pagos adiantados. Só 50 chegaram até agora.

Esmeraldino pediu desfiliação do PSL depois de exonerações de diretores do porto de São Francisco do Sul por ele indicados e suspeitos de contratos superfaturados. Ainda nesta semana (se já não ocorreu ontem) deve ser exonerado da SDS.

Ele e Borba, investigados pela Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Assembleia Legislativa para averiguar o escândalo dos respiradores, também estão enrolados até o pescoço em outras compras de vulto pelo Estado, além de desbragadas nomeações de parentes e amigos para cargos bem remunerados em secretarias e empresas do governo.

Leia mais:

Esmeraldino diz que deixa o PSL “com a sensação do dever cumprido (foi um dos fundadores e presidente). Enigmático, diz que “chegou a hora de um novo desafio e nova história”.

Formado em odontologia, foi eleito vereador em 2012 e reeleito em 2016 pelo PSDB de Tubarão, sua cidade natal e onde o governador Moisés fez carreira como bombeiro militar.

E aí a razão de sua escolha para compor o secretariado. Em 2018, já filiado ao PSL e como um dos fundadores do partido, candidatou-se ao Senado.

Ilustre desconhecido na política catarinense, mas empurrado pela “onda Bolsonaro”, como o próprio Moisés e todos os outros eleitos pelo partido em SC, por pouco não se elegeu. Por 18 mil votos perdeu a vaga para Jorginho Mello (PL)

CPI dos respiradores

Só para lembrar: na condição de governador, Carlos Moisés (PSL) não pode ser convocado a depor na CPI dos Respiradores, apenas convidado.

E, se isso for feito, ele é quem decidirá o dia e a hora, se quiser ir.

Ou depor na sua sala de trabalho. Mas há outro ponto, é preciso que haja elementos consistentes para isso. Por enquanto, não há qualquer indício de que ele tenha participado, direta ou indiretamente, de nenhuma falcatrua.

100 km de vias pavimentadas

 Prefeito Antídio Lunelli (MDB) registra o que considera um fato histórico. Desde 2017, quando assumiu, já são 99,4 quilômetros de pavimentação em 163 ruas de todos os bairros. Outras 26 estão em obras.

Também é histórico: qualquer pesquisa que se faça apontará o asfalto como prioridade para quem mora em ruas e estradas ainda em chão de terra, incluindo escolas. Nesses tempos de estiagem, o pó é algo insuportável.

R$240 milhões no combate a COVID-19

Relatório da Comissão Especial de Acompanhamento dos Gastos Públicos na Assembleia Legislativa mostra que o Estado tem disponível para combater a pandemia cerca de R$ 240 milhões.

São recursos federais (R$ 149 milhões até agora), poderes e órgãos do Estado e doações de pessoas físicas e jurídicas. Porém, além dos R$ 33 milhões pagos adiantados por 200 respiradores (só 50 chegaram), o governo Moisés investiu apenas R$ 13 milhões.

Salvando empregos

Senador Jorginho Mello (PL) é autor do projeto de lei que será promulgado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) abrindo linha de crédito especial para micro e pequenas empresas e que pode garantir a sobrevivência de 20 milhões de empregos no país. Mello, indagado se está com um olho na eleição para governador em 2022, respondeu: “com um, não, com os dois”.

De fato, pela andar da carruagem e pelo desempenho dele no Senado, só um tsunami eleitoral impedirá que sente na cadeira de Carlos Moisés (PSL).

Até porque nenhum outro partido tem, hoje, sequer um nome de peso estadualizado e que possa ser trabalhado para liderar uma chapa majoritária. E nem mesmo perspectivas.

Auxílio emergencial

Ministro da Economia, Paulo Guedes, já avisou: não há como estender o benefício emergencial de R$ 600,00 (três parcelas) até setembro, como alguns políticos pretendem para, depois, se arvorarem como benfeitores humanitários.

Simplesmente porque o governo não tem caixa para isso.

É lógico, com a economia estagnada, praticamente não há receitas com impostos. Além disso, há compromissos fixos, de bilhões, um deles as aposentadorias e pensões.

Transporte coletivo

Quando na maioria dos grandes municípios de Santa Catarina o primeiro semestre do ano costumava ser de greves de motoristas de ônibus urbanos, o que se vê são os trabalhadores da categoria apoiando empregadores pela volta ao serviço. Entre professores, agentes de saúde e de segurança, embora o descontentamento geral, o clima de “paz e amor” também deve perdurar ao menos até dezembro. A reação popular seria de condenação sumária.

Notas

Partidos buscam mulheres para se lançarem em campanha - Com o veto às coligações proporcionais, partidos políticos têm feito uma corrida interna para ampliar o número de mulheres dispostas a se lançar em campanha. Como a nova regra obriga a partir deste ano que cada legenda tenha, de forma independente, ao menos 30% de nomes femininos nas urnas, partidos que não alcançarem esse percentual vão ter de barrar homens na eleição. Se a cota feminina não for alcançada, a lista de homens terá de ser reduzida na mesma medida e a chapa será então proporcional. Em eleições anteriores, quando a cota do gênero já estava valendo, mas o veto às coligações ainda não, os partidos se coligavam e valia a média de candidaturas femininas do bloco. Na prática, uma legenda podia salvar a outra. Agora é cada uma por si. E além de estabelecer uma percentagem mínima de candidaturas de mulheres, as regras eleitorais determinam que os partidos destinem ao menos 30% de sua verba do Fundo Eleitoral para as campanhas femininas. A corrida por mulheres candidatas está acontecendo em todos os partidos.

Escola de gastronomia organiza duas oficinas - O Chef Gourmet, escola de gastronomia sediada em Jaraguá do Sul, está organizando duas oficinas para capacitação de interessados no universo gastronômico. No dia 22, o chef e professor Gabriel Leoni fala sobre melhores cortes de legumes e verduras para várias preparações e também como congelá-los. Já nos dias 28 e 29, é a vez de a chef Dominique Conceição ensinar aos participantes os segredos da preparação de ovos de Páscoa. As inscrições podem ser feitas pelos telefones (47) 9 9115-8506 e 3055-0679. Para saber mais, basta acessar www.escolachefgourmet.com.br ou seguir as redes sociais da marca.

Secretaria de Saúde promove audiência pública - Os resultados do último quadrimestre serão apresentados à população pela Secretaria de Saúde de Massaranduba na segunda-feira (24), a partir das 9h30min, na Câmara de Vereadores. O relatório dará também os números consolidados do ano. A audiência é o meio pela qual a comunidade pode acompanhar a execução da programação anual da saúde relativos a 2019 e os principais detalhes sobre recebimentos e aplicação dos recursos financeiros e prestação de serviços.

CARNAVAL – O Clube Atlético Baependi promove no dia 25, terça-feira, o carnaval infantil a partir das 14h, com animação do Dj Xalinho e tendo como atração o Robô Led. No local haverá food truck. Evento gratuito para sócios e não sócios a R$ 5,00. Até cinco anos é livre.

Centenário realiza a festa de rei e rainha - A Sociedade Desportiva Recreativa Rio da Luz II – Salão Centenário, realiza no dia 22, sábado, a festa de rei e rainha com baile, a partir das 18h com a concentração dos sócios e uma hora depois a busca das majestades, Muriel Cristo e Jehnefen Tonello (rei e rainha), Natalício Shimanski, David Horongozo, Cecília Schimanski e Tânia Fischer (cavalheiros e princesas). Aldoir Oldenburg será o comandante. O baile começa às 20h30min com a Banda GBD, posteriormente o Grupo Chama e para finalizar a noitada, o Grupo Talagaço. O valor por participante é R$ 35,00 com direito ao buffet, duas horas de bebidas livre (cerveja, refrigerante e água) e impresso para o baile. Quem for apenas para o baile pagará R$ 15,00.