Homem primata

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

Historicamente, a política tem usado da mesma estratégia para eliminar a diferença entre pobres e ricos: a indiferença.

O que move a “política”, além da conquista do Poder, a satisfação pessoal, interesses de terceiros, a implementação de ideologias e a manutenção de um “Sistema” desagradável aos olhos de um povo que pensa? Não estaria mais que na hora de o Homem do Século 21, apresentar algo novo?

Hoje, o sistema político é tomado por mazelas de toda sorte. A margem que induz o eleitor ao erro, é bênção aos candidatos mal-intencionados – que são muitos - e pesadelo para a população forçada a se dividir e escolher por suposição, no caleidoscópio político, os menos piores. Infantilidade, ou ato premeditado?

São velhos, os interesses impregnados nos capachos da insana e indecente Partidocracia. Sensato e justo, seria um sistema eleitoral distrital por sorteio, no qual, candidatos independentes, livres e sem partidos, seriam alternativas para isolar os múltiplos fios desencapados de uma democracia em eterna construção, corporativista, ineficiente e frágil. Com certeza, erraríamos menos! Porém, certos interesses, ainda primatas, suplantam a inteligência de certos seres do Século 21!

Esse mesmo sistema, coage seus usuários a travestirem-se de vendedores de utopias para que, além da satisfação de sua vaidade, usufruam de aviltantes benesses expropriadas de quem, com boa-fé ou parca sapiência, lhes concedeu um cargo público através de um voto.

Não há alternativa mais justa que um Sistema Eleitoral composto por candidatos, livres dessas nefastas ideologias de “agremiações veladas”, submetendo-se perante o eleitor, através de pessoas comprometidas com a honra, honestidade e capacidade técnica em gestão. Falsa expectativa? Ou, como diria Timóteo, o discípulo, uma latente esperança!

Criar, pensar fora da caraminhola, é a melhor experiência. Nunca tentar, é a síntese do auto fracasso, da iniquidade humana, independente da sua cor, etnia, credo ou pensamento.

Para pensar: Há duas coisas infinitas. O Universo e a tolice dos Homens. Albert Einstein.