Governo do Estado de SC já tem pronta uma proposta para reduzir as gratuidades das passagens de usuários

Celso Machado

Nascido em Blumenau, 68 anos, 53 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul).

Ver artigos

A informação é do secretário estadual da Infraestrutura, Thiago Vieira; o governo do Estado já tem pronta uma proposta para reduzir em 80% as gratuidades das passagens de usuários, como alunos, idosos e professores [da rede estadual de ensino] para atender queixas de ordem financeira das empresas.

Segundo argumentam, acentuadas desde março pela pandemia do novo coronavirus. Também deve ser mantida a alíquota atual de 7% de ICMS sobre o óleo diesel consumido pelas empresas de transporte de passageiros no Estado.

Governador Carlos Moisés (PSL) segue conversando com deputados na tentativa de dissuadi-los a votar a favor de seu impeachment. Usando de todos os argumentos possíveis, inclusive o “toma lá, dá cá”, acenando com cargos.

Para formar um “governo de coalizão”, como costumam chamar essa execrável forma de negociar interesses políticos, partidários e até mesmo pessoais. Em 1997, Paulo Afonso Vieira (MDB) livrou-se do impeachment “convencendo” quatro deputados de que se tratava de uma injustiça contra ele.

Derrotada em 2016 pelo atual prefeito Gean Loureiro (DEM e à época no MDB) por diferença de 50 mil votos, a deputada federal Ângela Amin (PP) costura alianças com o PSDB, MDB, PSL, PDT e PSB na tentativa de voltar à prefeitura da Capital.

Que já governou entre 1997 e 2005. Resumindo: todos na busca pelo poder porque é isso o que de fato importa. Mesmo que há quatro anos tenham xingado uns aos outros com adjetivos impublicáveis.

 

Recente consulta popular entre pais de alunos matriculados em escolas municipais do Vale do Itapocu mostrou que expressiva maioria não quer os filhos em salas de aula enquanto perdurar a pandemia do novo coronavírus.

Como anuncia o governo do Estado para 13 de outubro. A secretária de Educação de Jaraguá do Sul, Ivana Dias, em uma frase, expressa a realidade: “Não vejo ganho pedagógico num retorno no finalzinho do semestre”.

E arremata: “Os pais que não se preocupem porque nós não vamos colocar alunos em sala de aula quando o ano letivo já está praticamente terminado”. Simples assim e não há como ser diferente.

Ninguém- professores, alunos, pedagogos- estava preparado para aulas online, que exigem muito mais esforços que aulas presenciais. Seja no conteúdo, seja no aprendizado.

O ano letivo está irremediavelmente perdido. Agora é pensar em como recuperar tudo isso.

Nilson Francisco Stainsack (PSD), de Presidente Getúlio, assume temporariamente a vaga do deputado federal Darci d Matos (PSD), candidato a prefeito de Joinville pela terceira vez. Na eleição de 2018, Stainsack fez 61 mil votos. Foi o décimo oitavo mais votado à Câmara dos Deputados numa relação de 251 candidatos. Diferença de sete mil votos para o próprio Matos.

Presidente Jair Bolsonaro (Aliança Pelo Brasil) vetou em parte projeto de lei aprovado pelo Congresso perdoando dívidas de igrejas superiores a R$ 1,1 bilhão.

O texto original previa isenção do pagamento da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, anistia das multas recebidas por não pagar a CSLL e anistia das multas por não pagamento da contribuição previdenciária.

Neste caso, a anistia foi mantida. Não fosse o risco palpável de incorrer em crime de responsabilidade e um processo de impeachment, o projeto certamente (assegurando votos em 2022) seria sancionado na íntegra.