Darci desiste de ser prefeito

Celso Machado

Nascido em Blumenau, 70 anos, 53 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul).

Ver artigos

Deputado federal Darci de Matos (PSD), em vídeo de entrevista publicado em sua página do Facebook, disse que está cansado de perder eleição para prefeito de Joinville e que nunca mais se candidatará ao cargo. Afirma que prefere ficar em Brasília e usar sua “inteligência para ajudar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a mudar o Brasil”. Foram três derrotas consecutivas, a última em 2020 e só depois disso concluiu que pode ser mais útil ficando em Brasília. Visto a insistência e a desistência, é bem provável que tenha tomado a decisão mais certa.

Porcarias à venda

O Instituto de Metrologia de Santa Catarina foi conferir se o material escolar oferecido no comércio está de acordo com a legislação em vigor. Analisando cadernos, agendas, fita adesiva, cola, corretivo, folha A4, guache e papel crepom, entre outros. Foram emitidos 198 laudos de exame, com reprovação de 10,1 %. Resumindo: estão vendendo porcarias a bom preço. Como em anos anteriores, políticos de boca fechada sobre este crime contra a economia popular.

Só coincidência?

Depois de reunião com representantes da indústria e comércio na terça-feira (23), o governador Carlos Moisés (PSL) publicou decreto afrouxando medidas restritivas no combate a Covid 19. Agora, o comércio de rua pode funcionar entre 8h e 20h. Também muda o regramento para supermercados: duas pessoas por família, ao invés de uma só, dentro dos estabelecimentos. Que podem atender entre 6h e 22h.

Prazo para explicar

Tribunal de Contas do Estado deu trinta dias de prazo para que as nove pessoas indiciadas em inquérito no caso da compra fraudulenta de 200 respiradores importados da China, em abril do ano passado, se expliquem. Entre elas o ex-chefe da Casa Civil, Douglas Borba. Vale, também, para a empresa Weigamed, com quem o contrato de importação foi assinado.

Moises não é réu

Já o governador Carlos Moisés (PSL) não foi indiciado neste inquérito, portanto não é réu no escândalo que envolveu a compra dos equipamentos ao preço de R$ 33 milhões pagos adiantados (antes da entrega). Amanhã (26) o Tribunal Especial de Julgamento (cinco desembargadores e cinco deputados) dirá se Moisés tem ou não alguma culpa.

Contra as prévias

O ex-deputado federal Mauro Mariani (MDB) reaparece no cenário político. Agora assessor parlamentar do senador Dario Berger (MDB), que trabalha para disputar a eleição majoritária para governador, Mariani critica a executiva estadual por querer realizar eleições prévias para indicar o candidato. Coisa que o senador Berger e o ex-governador Pinho Moreira também condenam. “O MDB precisa de um psicólogo para entender quem é”, fulminou Mariani.

Sobrou até para LHS

Desafeto do ex-governador Luiz Henrique da Silveira, a quem acusa de ter usado o partido para projeto político pessoal, Mariani faz uma comparação em alusão às secretarias estaduais entregues MDB: “É como se o Bolsonaro ganhasse a eleição e nomeasse três ministros do PT”. Há quem aposte todas as fichas que o MDB apoiará Carlos Moisés (PSL, ainda) para o Senado. Abrindo o caminho para o partido tentar sucedê-lo no governo do Estado.