CIRCUITO DA FEB NA ITÁLIA

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

       Os corpos, lá não estão, mas ao pisar aquele solo molhado pela chuva que a cântaros caia durante o último Novembro Toscano, fez com que nossas lagrimas a ele se juntassem no cemitério na cidade de Pistóia. Constam os nomes de 456 militares da FEB, oito oficiais da Força Aérea Brasileira e 40 militares alemães, cujos corpos foram recolhidos pelo Pelotão de Sepultamento. Em 22 de dezembro de 1960, os restos mortais dos nossos heróis foram transladados para o Mausoléu do Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial no Rio de Janeiro. Faltou-nos ar para respirar, assim que encontramos a primeira lápide com um nome familiarizado pelos jaraguaenses: Antônio Carlos Ferreira. Ainda emocionado, confesso que soou estranho em minha mente, o nome de outro jaraguaense: o do Cabo Harry Hadlick. Após conferir cada nome em cada uma daquelas frias pedras coladas ao chão, encontramos outros não menos conhecidos: Gumercindo da Silva e João Zapella.

         Ao ler o livro “Um soldado Desarmado” de Anselmo Bertoldi, um riocedrence que serviu como padioleiro no front italiano durante a Segunda Guerra, meu respeito que já era muito aos veteranos, ganhou a estratosfera. Não bastasse a antevisão do inferno que o valoroso soldado cita, completei a leitura de “Crônicas da Guerra na Itália”, de Rubem Braga. Outro livro gentilmente trazido a Jaraguá do Sul pela amiga Magali Piazera, “Irmãos da Montanha”, com tradução de Mario Pereira que até a pouco zelava pelo complexo do Cemitério Votivo Militar Brasileiro em Pistóia, na Itália, me levou a refletir. Mário Pereira é filho de um soldado brasileiro que ao final da Segunda Guerra, casou-se com uma cidadã italiana, sendo designado a zelar pelo patrimônio brasileiro que espalhava-se homenageando o Brasil em terras italianas. Imediatamente, lembrei-me de alguém que, creio, é merecedor de tamanha homenagem. Trata-se de Walter “Bubi” Hertel, de longevos, lúcidos e saudáveis 96 anos de idade, um dos raros veteranos que vivenciaram o inferno em terras italianas. Somos incapazes de imaginar como deveu-se a convocação ao insano teatro de operações, o treinamento, a viagem, o medo, terror e pânico. Ato seguinte, teve em seu elenco, as mortes, as doenças, a tristeza e a saudade. Ao final, o alívio pelo retorno e a tristeza em saber do desígnio a que foram submetidos em terras brasileiras durante o conflito, os descendentes de alemães, italianos e japoneses. Obviamente, trata-se de uma longa história! Daquelas de fazer rir, indignar-se ou chorar.

       Estes mesmos sentimentos levaram-me recentemente a Itália na intenção de desmistifica-los, além das imagens projetadas pelas leituras, filmes, conversas e palestras. Mesmo sabendo que pouquíssimos brasileiros visitam o cemitério, tive a certeza de que os poucos que ali chegam, demonstram em profundo pesar, um sentimento de respeito e reconhecimento de que as vidas daqueles homens não se perderam em vão. O que não se compreende, é o fato de que, além deste lugar ter sido retirado dos destinos turísticos para brasileiros no exterior, os cemitérios que abrigam soldados mortos de outras nacionalidades dentro da Itália, obtiveram a doação do espaço, e o Brasil, por razões desconhecidas, paga uma taxação simbólica pelo uso daquela terra manchada pelo sangue de quem os libertou.

      Ainda consternados devido à forte emoção, seguimos pela via 64 rumo a alta toscana onde se situam cidades que foram libertas das garras nazistas pelos soldados brasileiros que afinal, viram a cobra fumar. Em Montese, caminhando por desertas ruas de antigos casarios, era impossível imaginar que nazifascistas entrincheirados nos segundos pisos das residências, estariam a mercê das tropas brasileiras a pouco mais de setenta anos. Descendo a via Porretana, visualizamos o Monumento ai Caduti Brasiliani, situado em uma área próxima ao Monte Castello. As cores de outono desfilavam em meio aos tímidos raios do Sol toscano, embora o vento aliado do frio alucinante, desse uma pequena mostra do que os soldados teriam enfrentado em 14 de abril de 1945. Deu-se ali, o combate mais sangrento e o de maior valor em toda a guerra. Foi o início do término da guerra na Itália, com defensiva extremamente agressiva, com intensa atividade de patrulhas, com os nazistas despejando sobre Montese a maior concentração de fogos de artilharia jamais vista até então. Esta conquista repercutiu favoravelmente nos altos escalões e a FEB mereceu dos generais norte-americanos reconhecimentos e as mais elevadas glorias.

Notas

Partidos buscam mulheres para se lançarem em campanha - Com o veto às coligações proporcionais, partidos políticos têm feito uma corrida interna para ampliar o número de mulheres dispostas a se lançar em campanha. Como a nova regra obriga a partir deste ano que cada legenda tenha, de forma independente, ao menos 30% de nomes femininos nas urnas, partidos que não alcançarem esse percentual vão ter de barrar homens na eleição. Se a cota feminina não for alcançada, a lista de homens terá de ser reduzida na mesma medida e a chapa será então proporcional. Em eleições anteriores, quando a cota do gênero já estava valendo, mas o veto às coligações ainda não, os partidos se coligavam e valia a média de candidaturas femininas do bloco. Na prática, uma legenda podia salvar a outra. Agora é cada uma por si. E além de estabelecer uma percentagem mínima de candidaturas de mulheres, as regras eleitorais determinam que os partidos destinem ao menos 30% de sua verba do Fundo Eleitoral para as campanhas femininas. A corrida por mulheres candidatas está acontecendo em todos os partidos.

Escola de gastronomia organiza duas oficinas - O Chef Gourmet, escola de gastronomia sediada em Jaraguá do Sul, está organizando duas oficinas para capacitação de interessados no universo gastronômico. No dia 22, o chef e professor Gabriel Leoni fala sobre melhores cortes de legumes e verduras para várias preparações e também como congelá-los. Já nos dias 28 e 29, é a vez de a chef Dominique Conceição ensinar aos participantes os segredos da preparação de ovos de Páscoa. As inscrições podem ser feitas pelos telefones (47) 9 9115-8506 e 3055-0679. Para saber mais, basta acessar www.escolachefgourmet.com.br ou seguir as redes sociais da marca.

Secretaria de Saúde promove audiência pública - Os resultados do último quadrimestre serão apresentados à população pela Secretaria de Saúde de Massaranduba na segunda-feira (24), a partir das 9h30min, na Câmara de Vereadores. O relatório dará também os números consolidados do ano. A audiência é o meio pela qual a comunidade pode acompanhar a execução da programação anual da saúde relativos a 2019 e os principais detalhes sobre recebimentos e aplicação dos recursos financeiros e prestação de serviços.

CARNAVAL – O Clube Atlético Baependi promove no dia 25, terça-feira, o carnaval infantil a partir das 14h, com animação do Dj Xalinho e tendo como atração o Robô Led. No local haverá food truck. Evento gratuito para sócios e não sócios a R$ 5,00. Até cinco anos é livre.

Centenário realiza a festa de rei e rainha - A Sociedade Desportiva Recreativa Rio da Luz II – Salão Centenário, realiza no dia 22, sábado, a festa de rei e rainha com baile, a partir das 18h com a concentração dos sócios e uma hora depois a busca das majestades, Muriel Cristo e Jehnefen Tonello (rei e rainha), Natalício Shimanski, David Horongozo, Cecília Schimanski e Tânia Fischer (cavalheiros e princesas). Aldoir Oldenburg será o comandante. O baile começa às 20h30min com a Banda GBD, posteriormente o Grupo Chama e para finalizar a noitada, o Grupo Talagaço. O valor por participante é R$ 35,00 com direito ao buffet, duas horas de bebidas livre (cerveja, refrigerante e água) e impresso para o baile. Quem for apenas para o baile pagará R$ 15,00.