Bolsonaro e os editores do fracasso

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

Continuando a história, o Cavalo de Troia foi infiltrado no governo como coluna principal, afinal, o menino prodígio de Curitiba era visto como combatente ferrenho da corrupção. O “herói nacional” virou Ministro da Justiça. Em contrapartida, exigiu carta-branca e poderes além dos constitucionais. Elegeu seus amigos de confiança para cargos estratégicos. Dezesseis meses se passaram e o trabalho, antes implacável de nosso “herói” e dos meninos da “Republica de Curitiba”, parece agora, não ter o mesmo ímpeto. Vários figurões envolvidos em corrupção, ou melhor, malfeitos, estão soltos e desfrutando do dinheiro roubado, ou melhor, desviado. Outros peixes grandes e intocáveis, principalmente do PSDB e PMDB, não foram investigados.

Por outro lado, é do interesse da nação brasileira saber quem mandou matar o Presidente, afinal, é um crime de Segurança Nacional. Passados dezesseis meses, nada foi solucionado e o “herói nacional” resolve dar xeque-mate no homem maluco. Afinal, sair do governo em meio a uma pandemia mundial, é como lançar uma bomba atômica. A tática, agora, era “esfaquear pelas costas”, afinal, já tentaram pela frente, sem sucesso. Acuado diante do vexame ao qual foi exposto durante uma reunião ministerial, o ex-juiz resolve pedir demissão. Aproveita a exposição nacional para fazer acusações levianas afim de destruir o governo e causar o caos.

Apenas o homem maluco sentiu a dor da facada pela frente, mas, o gosto amargo da traição pelas costas, deixou a população com gosto de cabo de guarda-chuva na boca. O ex-juiz depôs na PF de Curitiba e disse: “Há lealdades mais importantes que lealdades pessoais”. O ex “capa preta” confessa que presta lealdade a pessoas ou grupos que estão acima do governo de seu país. Enfim, confissão de Traição à Pátria já é motivo para Prisão em Flagrante Delito. O “herói” de barro declara também, que gravou conversas secretas do Presidente durante quinze meses. Desta forma, fica evidente o objetivo de seus chefes. Um Cavalo de Troia com a clara intenção de prejudicar o governo de seu país. Se já não fosse suficiente, nosso “herói” confessa crime de espionagem e prevaricação contra a Segurança Nacional. Um crime gravíssimo de Traição à Pátria. E pior! Pôs tudo a perder de uma hora para outra, fazendo com que seu magnifico trabalho como juiz, virasse chacota no tribunal dos “Onze togados e agora, nenhum segredo. ”

Mas, novamente, o sobrenatural aconteceu. O grande “herói nacional” teve sua máscara retirada e sua biografia manchada para todo o sempre. Somente agora, com sua desonrosa saída, eis que surgem das gavetas os inquéritos contra figurinhas carimbadas do PSDB. E o que restou ao sistema? Restou o STF como a última torre no tabuleiro. Um STF aparelhado por ex-advogados do PT e do PCC que vem tentando de todas as formas, imobilizar as ações do governo do homem tosco, destruir a Lava-jato, e anular as provas contra o Napoleão de Garanhuns.

Por fim, o povo tomou as ruas e as redes clamando por justiça. Forças do além ouvem e atendem, expondo e desfazendo cada ação meticulosa dos inimigos que se lançam ao raiar de cada dia como “editores do fracasso” para tomarem tiro no pé, em consequência do desprezo pelos seus atos nada republicanos. Infelizmente, pessoas comuns que trabalham e acreditam no poder do voto, terão de engolir novos e derradeiros capítulos desta intragável história, onde, a busca pelo sadio equilíbrio democrático, está apenas começando ... ou terminando! E, afinal, o sistema vencerá o homem maluco, ou o povo e o homem maluco conseguirão o tão sonhado “Brasil acima de todos”? Falsa expectativa, ou como diria Timóteo, o discípulo, uma latente esperança? Veremos!