Últimas colunas de A J Marchi

A COROA DA DISCÓRDIA

É importante sabermos, até para aumentar nossa expectativa positiva ou, quem sabe, diminuir nosso nível de estresse pandêmico, que a primeira pandemia da qual se tem notícia foi a gripe Influenza em 1580. Depois desta, foram relatadas mais 32, sendo as últimas seis, em 1889, 1900, 1918, 1957, 1968 e 2009, dentre elas, a supergripe "Espanhola" que matou em 18 meses, entre 1918 e 1920, mais de 70 milhões de pessoas, e infectou mais de 50% da população mundial.

Por A J Marchi

O ÓBVIO MAIS QUE IMPROVÁVEL

Hoje, escrevendo sobre a situação em que nos encontramos, observo com mais clareza o que acontece. A paisagem brasileira está de pernas para o ar: nada faz muito sentido. É tanta coisa inacreditável, embora, real. Porém, reflito quase constantemente sobre todas as loucuras, baixezas e leviandades praticadas por seres tão pueris. Mas, nada é para sempre.

Por A J Marchi

DIA DO TRABALHO OU DO TRABALHADOR?

Em homenagem a esta data, revisitei esta história que teve início em Chicago nos EUA, onde, em 1º de maio de 1886, alguns milhares de operários foram às ruas reivindicar melhoria das condições laborativas, e com isso, fomentou-se greves em algumas cidades daquele país. Dias depois, conflitos entre policiais e operários com saldo negativo entre ambos, resultaram em mais violência.

Por A J Marchi

O QUE SE EMPRESTA, SE DEVOLVE

Como é possível, que governantes e legisladores que elegemos para executar, legislar e fiscalizar, que recebem e gerenciam tanto dinheiro que obviamente não é deles, não desejem devolvê-lo o mais rápido possível? Sim, que devolvam, porque antes de tudo, não lhes pertence, é "emprestado"! Pertence ao povo que, com um voto de confiança, decidiu em eleições diretas "emprestá-lo" via impostos para que pudessem administrá-lo com responsabilidade, e mesmo que em sonho, recebe-lo de volta com acréscimos e talvez, uma pequena nota de "Obrigado por confiar em mim".

Por A J Marchi

O VENTO DA MUDANÇA - METÁFORA PARA VIVER SEM MEDO

Em nossos verões, não é comum, embora não seja raro, que tenhamos de sair correndo da praia contra um forte vento que surge do nada. A esse vento quente, que as vezes se inicia com uma brisa no amanhecer, vindo de norte com um pouco de nordeste, é conhecido por "terral" na maioria das praias do Sul e Sudeste do Brasil. Apesar de ser desagradável, é o melhor vento para a pratica do bodyboard ou Surf. É aquele vento que sopra da terra para o mar, fazendo um spray para trás das ondas. Normalmente quentes, esses ventos interferem na formação das ondas em alto mar, e trazem consigo, uma formação momentaneamente desequilibrada no clima e no tempo local. Então, você não acha que o mar e o vento, são uma metáfora perfeita para compreender o momento de angustia que enfrentamos, e também de nossas emoções? Da nossa mudança de vida diante das incertezas que agora se abatem sobre nós?

Por A J Marchi

CISNE NEGRO

A expressão, Cisne Negro ou Outlier (ponto fora da curva em português), é utilizado no mercado financeiro para se referir a eventos totalmente imprevisíveis e que possuem a capacidade de impactar a sociedade e o universo das finanças. Assim, o artigo de hoje, revisita o fascinante best-seller "A lógica do Cisne Negro: o impacto do altamente improvável", escrito e lançado em 2007 pelo economista e doutor em matemática, o libanês Nassim Nicholas Taleb. Para Taleb, um Cisne Negro é um evento raro, imprevisível, impactante e transformador. Todos são pegos de surpresa, e precisam se adaptar à nova realidade! Além disso, os eventos chamados Cisnes Negros, tendem a ser intensos e árduos, sendo impossível calcular seu início e sua intensidade. Quando o inesperado ocorre, o frágil, com certeza quebra.

Por A J Marchi

COVID-19 - QUANDO MORREM OS PRINCÍPIOS

Ninguém tem razão; ninguém está correto, e muito menos, errado! O mundo está em "stand-by", aguardando que, como milagre, o vírus desapareça. E, embora não aconteça, continuaremos nós, a contagiar a todos com nosso compreensível ódio pelas autoridades que, sem capacidade de liderança, mostram a cada dia, total desconexão em relação ao ganha pão de cada um de nós! Para esses parlamenteares que vivem em um mundo paralelo, cometer malfeitos é uma virtude! Senão, como se explicaria o fato de, em plena guerra viral, estarem licitando valores bilionários para marketing pessoal? Basta! Esta crise está colocando à mostra, as vísceras de um sistema político ao qual não devemos reverência alguma.

Por A J Marchi

COVID19 - DESDE UM QUARTO DE HOSPITAL

É difícil pensar em distancias quando dois grandalhões peludos estão te esfregando dos pés à cabeça para te deixar bem asseado para se sentar em uma poltrona de um quarto de hospital. Curtem tanto o seu trabalho, eu tampouco, sentado nessa invenção do demônio. Estou tão bem deitado, quase como em uma suíte de hotel, salvo as diferenças, já que lá não há tantos tubos e nem maquinário com ruídos constantes que me enchem o saco!

Por A J Marchi

PANDEMIA: FICÇÃO OU REALIDADE?

Para o cidadão comum, a avalanche de notícias sobre o avanço do Covid-19 (o famoso novo Corona vírus) é um fato alarmante, mas, ao mesmo tempo paralisante, porque não há narrativa possível para explicá-lo. Alguns de nós, talvez, desejarão entrar em casa, colocar três fechaduras na porta e sair quando tudo acabar. Outras reações populares parecerão dignas de piada! As compras de "pânico" e algumas reações piores, como agarrar a família e correr de uma área comprometida para outra menos infectada, que ajudará somente a piorar e espalhar o caos. Enfim, é mais fácil criticar o medo dos outros do que superar os nossos.

Por A J Marchi

A ÚLTIMA ARMA QUE TEREMOS

"Um governante que, solitariamente, vive no luxo e nos prazeres enquanto à sua volta vivem todos em meio ao sofrimento e lamentações, estará atuando, antes como carcereiro, do que como um rei. Tal como um médico incapaz, que não sabe tratar de um mal, senão por um mal maior, o soberano que sabe apenas governar seus súditos privando-os de todas as comodidades da existência, reconhece abertamente que é incapaz de comandar homens livres."- Thomas More (1478-1535)

Por A J Marchi

A GERAÇÃO DA IGUALDADE EM DEFESA DAS MULHERES

Pouco mais de um século se passou desde a primeira comemoração em 1911, na Dinamarca, Áustria, Alemanha e Suíça, do dia Internacional da Mulher. Embora tenham sido feitos progressos significativos na luta pelo respeito e pela vigência dos direitos das mulheres, existem ainda muitos desafios e obstáculos que devem ser superados para alcançar a plena igualdade e equidade de gênero no mundo.

Por A J Marchi

UMA PERSPECTIVA DOS INFERNOS

Há um ditado espanhol que atribui o conhecimento do diabo à sua idade, e não propriamente à sua condição demoníaca. O leviatã, nessa história em particular (se é que o maligno seja um só) deve ter sido muito jovem, infantil ainda, a julgar pelo truque utilizado por um astuto arquiteto alemão chamado Jorg von Halsback. Esta história, conhecida ou recordada por poucos, começa no ano 1468 em Munique. Naquele ano, Jorg von Halsbach havia planejado realizar um de seus projetos mais ambiciosos: a catedral da cidade, que seria mais tarde conhecida como, Fraunkirche.

Por A J Marchi
1 2 3 4 5