Últimas colunas de A J Marchi

Liberdade de expressão ou impressão de liberdade?

As pessoas gostam da liberdade de expressão até o momento em que começam a ouvir aquilo que não gostariam que dissessem a respeito de si mesmas!

Por A J Marchi

Bolsonaro e os editores do fracasso

E o que restou ao sistema? Restou o STF como a última torre no tabuleiro.

Por A J Marchi

Os escorpiões de Bolsonaro

O velho sapo amargava na alma a dor da traição imposta pelo ingrato escorpião. Por isso, a vingança calculada causaria no escorpião, a dor e a humilhação da prisão.

Por A J Marchi

O SAPO E O ESCORPIÃO (1/3)

Esta parábola bastante conhecida, explica muito bem alguns episódios de nossa pobre história política que, a todo custo, torres e peões que ainda restam no tabuleiro, desejam ardilosamente agravar.

Por A J Marchi

Masoquismo coletivo

Dizia o emedebista Ulisses Guimarães: "não roubar, não deixar roubar, pôr na cadeia quem roube, eis o primeiro mandamento da moral pública".

Por A J Marchi

A ARTE DA GUERRA

Precisamos aprender, na paciência e na dor, o que significa o valor de uma escolha errada. E, para continuar errando, basta distanciar-se da política!

Por A J Marchi

INFAMES QUEIMADORES DE LIVROS

As investidas do STF contra jornalistas, blogueiros, humoristas, chargistas e escritores, se iguala a aqueles seres da idade média que, por falta de argumentação e lógica sobre o que se falava deles na sociedade medieval, queimavam livros.

Por A J Marchi

VELHOS HÁBITOS, NOVAS ATITUDES

Voltaremos algum dia à programação habitual? Ou como se ouviu por aí, ad nauseam, durante a quarentena, nada voltará a ser como antes?

Por A J Marchi

Velhos hábitos, novas atitudes

Me agrada relembrar o tempo em que não éramos pessoas germofóbicas, obcecadas por higienizar tudo e manter a distância de todos.

Por A J Marchi

UTOPIA DE UM POBRE LOUCO

Basta! A sinistra repressão não me representa ... poder sem voto não me isenta ... ... digo o que penso ... caviar, surubim, salmão, camarão e lagostão! Quem pensam que são? Tudo ... menos Constituição!

Por A J Marchi

O menino que pregava pregos

Muitas vezes, certas fábulas ou parábolas são criadas sob alguns pretextos, mas, sob apenas um ponto de vista, são repassadas de geração em geração. Entretanto, quando as questionamos, obviamente sem desmerecer a intenção, encontramos verdades subliminares.

Por A J Marchi

Uma pandemia de opiniões

A única certeza, é que não há nada certo, já dizia o naturalista romano Plínio, o Velho! Estamos todos literalmente segregados intelectualmente em prol de uma causa orquestrada pelos opositores da liberdade de expressão.

Por A J Marchi
1 2 3 4 ... 6