Especiais,Religião

O que existe por trás da festividade de Corpus Christi

Foto: FJBrugnago

Neste ano de 2019, o feriado de Corpus Christi acontece no dia 20 de junho, quinta-feira. Enquanto para alguns, trata-se de uma data para descanso e lazer, para os católicos trata-se de uma importante data de seu calendário litúrgico. Neste dia, a Igreja celebra a instituição da Eucaristia com a exposição do Santíssimo Sacramento pelas ruas, em procissão, juntamente com os fiéis. Para os católicos, a Eucaristia significa a essência da vida cristã, pois nela está contido o verdadeiro Corpo de Cristo que se sacrificou na maior demonstração de amor já realizada pela humanidade. A Festa de Corpus Christi começou no século XIII, na diocese de Liège, na Bélgica, graças à freira Juliana de Mont Cornillon.

Ela teria tido visões nas quais o próprio Cristo lhe aparecera pedindo que realizasse uma festa anual em honra da Eucaristia. A solenidade, porém, só foi instituída, oficialmente, pelo papa Urbano IV em 1264, ao publicar uma bula sobre o tema, prescrevendo a celebração oficial em honra do Corpo do Senhor sempre nas quintas-feiras após a oitava de Pentecostes. Segundo a tradição, a oficialização da data aconteceu depois que o Papa, que morava em Orvieto, na Itália, pronunciou as palavras Corpus Christi diante de uma relíquia eucarística, que lhe fora trazida de uma cidade próxima, chamada Bolsena. Trata-se de uma hóstia consagrada que teria sangrado durante uma celebração eucarística realizada na cripta de Santa Cristina, naquela cidade.

Para o pesquisador e estudioso de imagens há mais de 30 anos, Prof. Dr. Jack Brandão, tal acontecimento, considerado pelos católicos como um milagre eucarístico, foi quase imprescindível para a repercussão desta solenidade cristã. “Atualmente, por exemplo, muitos católicos sequer se lembram de tal milagre, nem conseguem associá-lo à Festividade de Corpus Christi. No entanto, essa imagem demonstrou sua eficácia, pois ainda hoje vemos a devoção popular espalhada nas ruas em forma de tapetes, por exemplo, no dia da festividade. Assim, a associação desvinculou-se do miraculoso e ganhou contornos próprios”, finaliza.

Para os católicos é a materialização do sacrifício de Cristo

De acordo com o pesquisador, nós somos seres iconotrópicos, ou seja, consumidores imagéticos vorazes e por isso necessitamos, a todo o momento, de mais e mais imagens que possam saciar nossa sede por elas. “O que acontece é que essa sede é inesgotável e, quanto mais consumimos, mais desejamos consumir, pois nunca nos contentamos com o que temos”. Segundo Brandão, a existência de uma relíquia, como a hóstia com gotas de sangue ou o milagre de Lanciano, cuja origem remonta ao século VIII, significa, para muitos católicos, a materialização do sacrifício de Cristo. “Nós somos seres visuais. Na sociedade contemporânea há o predomínio da percepção visual. Dessa maneira, o fiel católico, ao ter a oportunidade de visualizar aquilo que pertence ao mundo material em consonância com o espiritual, vê fortalecida sua fé. Não que ele necessite, de maneira clara, dessa materialização, é evidente”.

O professor ainda destaca que tais sinais externos não desmerecem a fé cristã, pelo contrário, ele ressalta que tais imagens apenas contribuem para reforçar a fé. “Se eu já acredito, intensificarei ainda mais a minha crença e, se eu tenho algumas dúvidas, passo então saná-las perante a imagem que surge diante de mim”, completa o pesquisador. Ele também chama a atenção para o surgimento de outros milagres semelhantes que atraem milhares de fiéis para verem a relíquia exposta. “As pessoas querem ver e contemplar, pois se trata, digamos, de uma prova da origem divina da Eucaristia. No caso da instituição da festividade de Corpus Christi, por exemplo, os milagres repercutem mais que a própria visão da freira Juliana. Não desmerecendo a mística, mas nesse caso o que se busca é a materialidade do sobrenatural, fato que corresponde ao suporte imagético”. Para concluir, Prof. Jack Brandão ainda cita o apóstolo Tomé que, apesar de ser taxado como homem de pouca fé ou até mesmo incrédulo, recorre à materialidade imagética para fortalecer sua crença: “Ele não deixa de acreditar, pelo contrário, ele apenas recorre às imagens para impulsionar a sua fé. Todos, afinal, temos um pouco de Tomé em nós”.

Região mantém a tradição da confecção de tapetes nas ruas

Corpus Christi, que será celebrado na quinta-feira (20) não é feriado nacional, mas sim, ponto facultativo. Na maioria das cidades é feriado municipal, instituído por lei, como acontece na região de Jaraguá do Sul, por exemplo. Em alguns municípios, como Guaramirim, Schroeder e Massaranduba o expediente da Prefeitura estará fechado também na sexta-feira. Não existe data fixa no calendário, sendo comemorados 60 dias após a celebração da Páscoa, que é realizada, por sua vez, sempre 40 dias após a Quarta-Feira de Cinzas, que marca o fim do carnaval. Mas, antes, no 50º dia subsequente à Páscoa, é celebrado o Pentecoste, que registra a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Cristo.

Na região, é tradição a confecção de tapetes. A Igreja, por meio de suas pastorais e movimentos enfeita as ruas principais das cidades para que o sacerdote, antes da celebração da missa, conduza em procissão o Santíssimo Sacramento, demonstrando publicamente a sua fé, com a comunidade participando em oração e cantando. O trajeto é definido por cada Paróquia, conforme as particularidades. É uma verdadeira demonstração pública da fé. Ainda escuro, os belos tapetes são confeccionados, utilizando-se de diversos materiais, entre eles serragem, borra de café, flores, ramos e materiais recicláveis que no conjunto mostram a criatividade e formam verdadeiras obras de arte por parte de artistas anônimos. Essa tradição é mantida, por exemplo, em Jaraguá do Sul, Guaramirim e Massaranduba muito fortemente. As celebrações litúrgicas são realizadas no período da manhã para que os tapetes coloridos não sejam prejudicados pelo movimento de veículos e de pessoas.

Vias interditadas para a procissão de Corpus Christi

A Diretoria de Trânsito e Transportes informa que algumas vias públicas estarão interditadas, total ou parcialmente, nesta quinta-feira (20), em virtude da procissão de Corpus Christi, organizada por diversas paróquias de Jaraguá do Sul.

Centro
1 Interdição parcial e policiamento da Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, das Ruas Domingos Rodrigues da Nova, Reinoldo Rau, Quintino Bocaiúva, Expedicionário Antônio Carlos Ferreira, Francisco Fischer, Expedicionário João Zapella e da Avenida Marechal Deodoro da Fonseca para uso da Paróquia São Sebastião, das 5h30 às 11h30.

Amizade
2 Interdição parcial e policiamento da Comunidade São José Operário, na Rua dos Viajantes, até a Igreja Matriz São Cristóvão, na Roberto Ziemann, no bairro Amizade, a partir das 10 horas.

Barra do Rio Cerro
3 Controle de trânsito nas Ruas Ângelo Rubini, Feliciano Bortolini e Aloísio Boeing, da Paróquia Nossa Senhora das Graças até o Noviciado Nossa Senhora de Fátima, na Barra do Rio Cerro, a partir das 8h45.

Água Verde
4 Utilização das Ruas Henrique Nagel, Guilhermina Lenzi, Padre Mirandinha e Waldemar Doubrawa pela Paróquia São Judas Tadeu, no bairro Água Verde, das 6 às 11 horas.

Ilha da Figueira
5 Utilização da Rua Nossa Senhora Aparecida pela Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Ilha da Figueira, a partir das 11 horas.