Política

Mulheres continuam tendo baixa representatividade na Câmara de Jaraguá do Sul

Foto: Arquivo/Divulgação

As candidaturas femininas, ficaram restritas à obrigatoriedade legal também na região. Em torno de 33% das candidaturas foram mulheres, mas o índice de sucesso nas urnas foi muito baixo, muito embora a participação de nomes fortes concorrendo.

Leia mais:

Corupá foi o único município com mulheres disputando a Prefeitura: Eliane Cristina Müller e Ana Paula Schulze, do PP e Avante, respectivamente, que tiveram como adversário Luís Carlos Tamanini, que acabou vencendo o pleito e será o prefeito pela quinta vez, a partir de 1º de janeiro.

Nas Câmaras Municipais, das 47 vagas nos cinco municípios, a predominância continuará masculina na próxima legislatura. Corupá terá novamente uma vereadora, Bernadete Corrêa Hillbrecht (PSD) que fez 340 votos e em Schroeder, atualmente são duas vereadoras (Marina Fernandes e Janaína Bucci), mas nenhuma retorna em 2021.

Marina não se reelegeu e Janaína não foi à reeleição. Em contrapartida, a Câmara de Schroeder terá representante das mulheres, Ana Leon (nome de urna), na verdade Ana Cláudia Locilha de Oliveira, eleita pelo MDB com 333 votos.

Em Jaraguá do Sul, Natália Lúcia Petry (MDB) sai de cena na Câmara. Muito embora tenha feito uma votação expressiva (2.035 votos) não alcançou o número necessário, sendo superada por Onésimo Sell (3.320 votos), Osmair Gadotti (2.537) e Luís Fernando Almeida (2.249 votos).

A Câmara de Jaraguá do Sul teve duas representantes eleitas no domingo. A professora Sirley Maria Schappo (NOVO) que recebeu 2.045 votos e a ex-secretária de Desenvolvimento Social, Maria Santin Camello, a Nina, do PP, com 1.340 votos.