Política

Enquete avalia desempenho de gestão dos prefeitos de Santa Catarina

Foto: Divulgação

Celso Machado

Nascido em Blumenau, 68 anos, 53 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul).

Uma enquete desenvolvida pelo site Prefeitos.Org, avaliou, com votos dos internautas e, no caso, de qualquer pessoa interessada, o desempenho de prefeitos dos 295 municípios catarinenses. Antídio Lunelli (MDB), de Jaraguá do Sul, teve nota média de 2,9 em 604 avaliações.

Luís Antônio Chiodini (PP) aparece com 4,2 em 195 avaliações. João Gottardi (PSD/Corupá) alcança nota médi de 1,6 em 15 avaliações. Armindo Sésar Tassi (MDB/Massaranduba), média de 2,8 em 38 avaliações e Osvaldo Jurck (PSDB/Schroeder), com 4,4 em 29 avaliações.

Nesse ranking e na proporcionalidade de votos, o prefeito de Garuva, Rodrigo Adriany David (MDB) lidera, obtendo média de 4,5 num universo de 358 avaliações.

Prefeito da maior cidade de Santa Catarina, Udo Doeller (MDB), reeleito em 2016, teve o maior número de avaliações (804), porém, o pior desempenho entre todos, com nota média de 1,1. Udo é membro efetivo do Conselho Consultivo “Pró-Jaraguá” criado por Lunelli em 2017 para avaliar seu governo “de fora para dentro”. Pelo jeito, não segue os próprios conselhos que dá por aqui. Se é que o faz.

Cinco pedidos de impeachment do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) foram apresentados neste ano à Assembleia Legislativa. Em um deles a própria vice-governadora Daniela Reinehr é citada.

O primeiro, do defensor público Ralf Zimmer Junior, tem como alvos o governador, a vice-governadora. Os últimos, dos deputados Maurício Eskudlark (PL) e Ana Campagnolo (PSL), por crimes de responsabilidade o cargo. Mas até agora nenhum autorizado.

_______________________________________________

Especula-se que na volta do serviço de transporte coletivo urbano em Jaraguá do Sul e Guaramirim (ainda sem data) a famigerada passagem embarcada mais cara (alguém pode explicar?) será extinta como parte de regras de higienização que serão estabelecidas visando a saúde de motoristas que fazem, também, o trabalho de cobradores e passageiros. Evitando contato com dinheiro. Quer dizer, então, que só os usuários com cartões magnéticos cujos créditos são antecipados à empresa, poderão embarcar?

Prefeitura de Jaraguá do Sul está à espera de permissão da Rumo/ALL para implantação definitiva da ciclovia que ligará os bairros Centenário e Nereu Ramos, aproveitando o trecho compartilhado (ciclistas e pedestres) dos trechos construídos pelo ex-prefeito Durval Vasel. O projeto, numa extensão de 15,3 quilômetros anunciado com toda a pompa no governo de Dieter Jansen (PP) nunca saiu do papel. À época (abril de 2016) orçado em R$ 12 milhões.

_______________________________________________


A escancarada incompetência e a esperteza de corruptos na compra dos respiradores ainda não entregues ao governo de Santa Catarina desnudaram uma outra realidade: o loteamento de cargos promovido pelo secretário do Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Lucas Esmeraldino (foto), nomeando parentes e amigos envolvidos no fraudulento negócio. “Uma verdadeira máfia que precisa ser imediatamente afastada “, atacou o deputado Ivan Naatz (PL), que preside a CIP dos Respiradores da Assembleia Legislativa.

_______________________________________________

Denúncia do deputado Kennedy Nunes (PSD) sobre dispensa de licitação entre o governo do Estado e a SC Participações e Parcerias, uma empresa de economia mista do Estado, levou à suspensão de contrato.

Motivo: o presidente da SCPAR era sócio de uma empresa do irmão do secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, também sobrinho do diretor financeiro que assinou a dispensa de licitação. Um negócio de R$ 10 milhões.

Lucas Esmeraldino e seus nomeados são todos de Tubarão, onde o governador Moisés fez carreira como bombeiro militar, município que adotou como sua “segunda casa” e para onde vai (exceto nesses tempos de COVID 19) com bastante frequência. Sempre levando verbas para municípios da região.

Candidato em 2018, por pouco Esmeraldino não se tornou senador pelo PSL. Ficou atrás de Jorginho Mello (PL), o segundo mais votado, por diferença de apenas 18 mil votos.