Segurança

Crescem atendimentos a mulheres vítimas de violência doméstica durante a pandemia em Jaraguá do Sul

Foto: Divulgação

Leonardo Koch

Jornalista formado com experiência em jornal impresso, digital e audiovisual

A Secretaria de Assistência Social e Habitação está alerta em relação ao aumento da violência doméstica nesse período de pandemia e isolamento social. Os equipamentos especializados de assistência social (Creas) atenderam de janeiro a maio 38 mulheres vítimas de violência, 72% a mais que o mesmo período do ano passado, quando 22 mulheres foram atendidas.

A orientação, informações e o trabalho preventivo estão sendo realizados pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), Creas e o trabalho tende a se expandir em rede com a Polícia Militar, Civil e entidades privadas.

Leia mais:

Leia mais:

O secretário de Assistência Social, André de Carvalho Ferreira, explica que é preciso informação sobre os tipos de violência possíveis para que haja conscientização e para que as pessoas denunciem mais.

“Há a violência física - como empurrão, chute, tapa, amarrar, tirar de casa à força; violência psicológica – como insultos, humilhação, desvalorização, isolamento de amigos e familiares; econômica – recusa de pagar ou participar dos gastos básicos da família, privação de bens; e sexual – como forçar o ato sexual, forçar o sexo sem preservativo”, exemplifica Ferreira.

Saiba como procurar ajuda

Disque 100 – gratuito, 24 horas. Basta discar o número 100, do celular, fixo ou telefone público

Polícia Militar 190, gratuito, 24 horas

Creas Nova Brasília – 3275-2343, de segunda a sexta, das 8 às 17 horas. Rua José Emmendoerfer, 328

Creas Baependi – 3275-8750, de segunda a sexta, das 8 às 17 horas. Rua Bertha L. Kassner, 112 - Bairro: Vila Baependi.