"Até fim do ano vamos estar falando do coronavírus", alerta secretário de saúde

Jaraguá do Sul registrou um aumento de casos nas últimas semanas. Pico deve ocorrer em agosto.

O mês de agosto deve registrar o pico de casos confirmados da covid-19 em Jaraguá do Sul. A informação é do secretário de saúde Alceu Moretti em entrevista ao programa “JDV em Foco” realizado na última sexta-feira (26).

Nas últimas semanas, o município registrou um aumento com dez casos confirmados por dia. O inverno, que iniciou no dia 20 de junho, pode ter sido um dos responsáveis para o aumento na curva de casos.

 

Nesta época do ano, o clima mais ameno e o tempo seco possibilita pacientes com mais problemas respiratórios sobrecarregando naturalmente as unidades de saúde.

Os números preocupam Moretti que pede para a população redobrar os hábitos de higiene nos próximos 60 dias. 

“As estatísticas dizem que o pico em Santa Catarina deve ocorrer no começo de agosto. Mas, nós vamos ter uma crescente agora. As pessoas precisam ter muita paciência. Esse é momento para ficarmos em casa e redobrarmos os cuidados”, reforça o secretário.

Alceu salienta que a diminuição de casos deve ocorrer a partir de setembro e reforça que irá ocorrer no mesmo ritmo. “Até o fim do ano vamos estar falando do coronavírus”, alerta Moretti. 

Uso de cloroquina no tratamento

Muito discutida entre profissionais da área da médica, o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina, foi liberado pelo Ministério da Saúde para usar em pacientes com formas graves da covid-19. 

Segundo Moretti, mediante critério médico, o medicamento está sendo utilizado em pacientes internados em Jaraguá do Sul e ele comenta que os profissionais avaliam positivamente. 

De acordo com o último boletim divulgado pela secretaria, o município possui 287 casos confirmados, sendo 172 recuperados e 108 em isolamento domiciliar. 

Até o momento, há dois pacientes internados nas enfermarias e um na Unidade de Terapia Intensiva. Desde o primeiro caso registrado, quatro pessoas vieram a óbito na cidade. 

Para assistir a entrevista completa clique aqui