Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho

Cristiano Mahfud Watzko

Graduado em Direito pelo Centro Universitário Católica de Santa Catarina, Pós-graduado (MBA em Direito Empresarial) pela SUSTENTARE - Escola de Negócios, com atuação no Departamento de Direito Tributário.

Ver artigos

Recentemente li um artigo no site ?A Escolha Certa? que começava citando uma frase de Jorge Paulo Lehmann, um dos empresários mais ricos do Brasil, que diz o seguinte: ?Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho?. Por isso, sempre sonhe grande. E aqui questiono ao leitor (a), isto é aplicável as suas finanças? Como elas estão? As respostas cada um devem dar para si mesmo (a). Que tal separar um tempo e fazer uma análise nos próximos dias sobre o ?status? atual das suas finanças pessoais? Quando temos objetivos fáceis de serem alcançados, a tendência é que falte motivação para buscar conquistas maiores. Se colocar como meta acumular R$ 100 mil até os 30 anos, pode ser que consiga acumular antes ou tenha que prolongar este objetivo por um tempo. O importante é sempre ter objetivos, e de vez em quando revisá-los. Contudo, para que tenha sucesso, não adianta apenas definir um objetivo financeiro que lhe desafie, acima de tudo, é necessário que haja coerência durante o planejamento. 

Sonhe grande, porém, defina objetivos intermediários e que possam ser atingidos. Como saber que você está na trilha do seu objetivo? É neste momento que os objetivos intermediários ganham extrema importância. Imaginemos um exemplo de um leitor (a) que quer acumular R$ 1.000.000, isto mesmo, a soma ?mágica? para muitos brasileiros. Importante: Não existe uma fórmula mágica que todos podem aplicar de forma igual. Na verdade, existem algumas variáveis que a depender de como elas forem combinadas, podem acelerar ou retardar o atingimento do seu objetivo. Eu gosto de chamar isto da ?tríade do sucesso financeiro?. A tríade é composta de três variáveis, a saber: tempo, valor poupado ou percentual poupado mensal e rentabilidade média mensal auferida. (mais detalhes no 2º artigo do mês de abril).

E por que os objetivos intermediários devem ser realistas? Porque se você não alcança os intermediários, com certeza a desmotivação irá tomar conta de todo o seu ser. E aí não há jeito mesmo. Suponhamos que um leitor (a) quer ter uma casa própria em 20 anos. Porém, atualmente ele possui dívidas no montante de R$ 200.000.00, e tem uma receita mensal de R$ 5.000, e suas despesas fixas mensais ficam em torno de R$ 3.000. É totalmente inviável ter como meta intermediária liquidar todas as dívidas em 1 ano, não concordas leitor (a)? É claro que não é impossível, mas a probabilidade é bem pequena, a não ser que um fato atípico ocorra, entre eles: o recebimento de uma herança ou ganhar um prêmio de um valor expressivo na loteria. Sejamos realistas, tudo é possível, desde que haja persistência e um plano definido. Olhem que interessante, se o leitor, tiver determinação e resiliência e usar os R$ 2.000 para pagar parcelas das suas dívidas a cada mês, em 1 ano, ele terá conseguido pagar R$ 24.000. 

Se continuar assim, ele pode renegociar as dívidas e com grande probabilidade de reduzir o saldo credor, o que pode levar a quitação do saldo total da dívida num período estimado de 7 anos. A solução de um problema começa com o desejo de querer resolvê-lo e continua com pequenas atitudes feitas dia-a-dia. E depois, ele (a) tem ainda 13 anos para trabalhar no projeto de ter a sua casa própria. Querer ficar rico somente por causa do dinheiro em si, ou emagrecer somente para ficar com o corpo da moda, são motivações que não tem pilares de sustentação. Contudo, se o seu objetivo tem uma razão de ser, com certeza, você irá fazer tudo o que for necessário. Lute pelos seus sonhos e tenha objetivos financeiros. 

Sinta-se a vontade para entrar em contato através do e-mail: [email protected] Até a próxima.

Notas

PLANO DIRETOR - A Prefeitura de Guaramirim, por meio da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano realizou ontem (6), a penúltima audiência pública de apresentação do Plano Diretor. O próximo (e último) acontece no dia 13 de novembro, na Câmara de Vereadores. Com ela, fecha as cinco audiências previamente programadas, onde os participantes se envolvem e discutem sobre este instrumento norteador da política de desenvolvimento municipal.

Vereador quer áreas de alagamentos mapeadas - O vereador Celestino Klinkoski mostrou preocupação com os alagamentos causados pelas chuvas do último final de semana em Jaraguá do Sul. Segundo ele, o volume de precipitação chegou a 55 mm no domingo à tarde e vários pontos da cidade sofreram com a água. Ele citou como exemplo um local no bairro Rio da Luz onde os moradores ficaram isolados por conta da enchente. O parlamentar lembra que já pediu à Prefeitura que restaure a tubulação da localidade e que troque por tubos novos, porém não foi atendido.

Klinkoski sugeriu que o município faça um trabalho de identificação dos locais de maior risco de alagamento. A partir desse mapeamento, a Secretaria de Obras poderá realizar a limpeza das tubulações e as obras de drenagem para evitar novos transtornos. O vereador também pede que a população ligue na Ouvidoria da Prefeitura (0800 642 0156) para que se possa fazer o mapeamento. Ele alerta que essa foi a primeira grande chuva que ocorreu neste semestre e que há muitas outras por vir com o verão que está por vir.

Estado vai duplicar trecho da SC-108 na região de Joinville - A ordem de serviço para início da obra de restauração e duplicação da SC-108, em Joinville foi assinada na terça-feira (5) pelo secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler. A iniciativa faz parte do programa Novos Rumos, um pacote de intervenções estratégicas do Governo do Estado para melhorar a infraestrutura catarinense.

O trecho, de pouco mais de 5 quilômetros, liga a BR-102 ao Distrito Industrial de Joinville onde estão localizadas mais de 200 empresas. O processo licitatório começou em 2017, mas só foi finalizado em 2018, aguardando desde então a ordem de serviço.

Atualmente sem qualquer manutenção, é por este trecho da rodovia que escoa boa parte da produção industrial do município. As obras se estenderão do entroncamento da BR-101 até a Rua Tenente Antônio João, passando pelas Ruas Hans Dieter Schmidt e Edgar Nelson Meister, e o acesso à Rua Dona Francisca.

 

Tubulação maior para escoamento - O vereador Arlindo Rincos (PSD) criticou a Administração Municipal em continuar implantando tubos de 40 centímetros em vias estruturais do município. Ele mostrou imagens que moradores fizeram no último final de semana mostrando alagamentos em vários pontos de Jaraguá do Sul. Segundo ele, as ruas foram alagadas com menos de meia hora de chuva intensa. Rincos lembrou que ele foi autor de um projeto de lei que proibia o município de implantar tubos com menos de 80cm nas vias estruturais da cidade, porém o projeto não foi aprovado porque esta é uma matéria em que apenas o Executivo pode deliberar. Ele pediu que a Prefeitura envie um projeto nos mesmos moldes para a Câmara, lembrando que o custo não sofre grandes variações pela bitola dos tubos.

Juraszek informa compra de saibreira - O vereador Eugênio Juraszek anunciou que o projeto de lei que vai permitir à Prefeitura comprar uma saibreira no Garibaldi na Câmara, o que vai possibilitar a retirada do material para a macadamização das ruas, principalmente nas áreas rurais. A ideia, segundo disse, é que o projeto seja votado ainda na sessão de quinta-feira (7). Juraszek observou que a luta para a aquisição é de oito anos, pelo menos. Outra observação refere-se à análise prévia do solo nas ruas que recebem pavimentação, o que dá segurança de que a deterioração não ocorra como até então.

 

Agenda

Ver todos