RICARDO FELDENS: Uma vida em forma de música

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

"A voz do anjo sussurrou no meu ouvido/Eu não duvido, já escuto os teus sinais/Que tu virias numa manhã de domingo/Eu te anuncio nos sinos das catedrais ...

“Anunciação” de Alceu Valença

Minha vida é a música - respondeu-me com seu sincero sorriso aquele honorável mestre de 76 anos em uma de suas aulas de violino na Casa da Música! - Qual nota musical, para não dizer arpejo, representaria sua trajetória? Fiquei sem resposta! Ricardo Feldens deixou-nos órfãos de “do a si” com uma enigmática escala para decifrar! Talvez eu nunca saiba, porém, sua existência final foi mais que uma evidência daquilo que se anunciava.

Alguns poucos “leram” seus sinais! Naquela mesma semana ouvia-se a canção acima sendo ensaiada pelas alunas de canto da Casa da Música. Penso que viver é uma fantástica aventura, mas morrer, é uma crueldade iminente. É o mesmo que perder o jogo, sumir com o tabuleiro e, em raríssimos casos, deixar rastros. Melhor apenas viver como Ricardo Feldens que teve disposição e alegria para deixar um rastro enorme de saudade, comoção e reverencia coletiva pela riqueza espiritual, bondade e tolerância que marcaram incalculáveis centenas de alunos seus. Foi um “pai” obstinado que até unhas cortava de suas alunas para que o som emanado dos instrumentos de cordas tivesse a perfeição que tanto desejava. Ao “derraparmos” o arco do violino, ele dizia: - Seja gentil com você mesmo; você chegou até aqui! Você é bom! Eu sou gaúcho, alemão e teimoso! Nunca desisto e espero que você também não. Dizia também: Façam a diferença! É preciso amar seus alunos. Ser professor preenche minha vida, pois aprendo um pouco mais a cada dia. Esses são alguns dos ensinamentos que marcarão para sempre a vida de diversos professores e alunos que, como eu e minha esposa, permitiram-se deixar fixar em suas consciências o seu ensinamento.

Ricardo será lembrado por todos e para sempre porque simplesmente era amado! Além de ídolo, era pura inspiração e sua paciência admirada e imitada por professores e alunos da Casa da Música onde incansavelmente trabalhou por mais de 30 anos. Muitos professores testemunham terem sido direcionados por ele a mudarem suas vidas através do aprendizado de seus instrumentos preferidos. Ricardo brincava dizendo que - todo aluno tem o direito de escolher seu instrumento desde que a escolha recaia sobre viola ou violoncelo. Seus alegres métodos de ensino eram escolhidos e indicados através do perfil de cada aluno. Tão afinado quanto meticuloso, era técnico e exigente. Para não dar margem para erros, escolhia o solista no palco. Garantia assim, que todos estivessem no mesmo nível.

Além do ouvido musical de excelência, sua memória era infalível a ponto de citar engraçadas regras que criava ao longo do tempo sem esquece-las. Sim, Ricardo deixou-nos um legado importante! Não apenas sentimental, mas notadamente musical. Legado este que influenciará gerações de músicos além de nossas fronteiras a exemplo de seus filhos e netos que tanto o orgulhava e músicos que graças a ele, se profissionalizaram.

Ricardo Feldens foi o responsável direto pelo renascimento da Orquestra da SCAR. Foi um entusiasta, idealizador e mentor de projetos como a Camerata, Orquestra de cordas e Grupo de Câmara que, em seus diversos níveis, atualmente acomoda 70 de seus próprios alunos a quem regia, além é claro, de personificar o Festival de Música de Santa Catarina (FEMUSC). Foi regente do Coral Luterano como também seu organista principal por décadas. Como poliglota, lecionou o idioma alemão no atual Colégio Evangélico Jaraguá.

Pergunto-me então: Afinal, a vida tem sentido? Se tivesse, não seríamos eternos no ápice? Mas, para Ricardo Feldens o sentido estava em cada nota musical, em cada aluno que recebia com seu sorriso a cada aula, apesar de sabermos que guardava para si um imenso sofrimento! Ricardo Feldens faleceu dia 01 de Setembro ao lado de sua esposa Maria Helena que encontrava-se gravemente enferma no Hospital São José naquele momento.

Após essa pesarosa dialética, penso que ao final, somente “os evoluídos” estarão prontos, e então assistiremos o cruel despedir de nossos ídolos. É insofismável que a morte prescinda da vida, tornando incompreensível o fato de que algumas grandezas posicionadas além dos limites conhecidos do universo como Aristóteles, Jesus da Galileia, Galileu, Da Vinci, Einstein, Michelangelo, Botticelli, Mozart, Beethoven, Bach, Vivaldi e Luciano Pavarotti, precisaram morrer para evoluir e sabe-se lá, talvez o inverso! Da mesma forma, precisam evoluir mentes brilhantes do cenário contemporâneo como Ricardo Feldens?

Desígnio cruel assistir o descortinar do palco e o apagar das luzes ao final em uma manhã de domingo quando a voz de um anjo sussurrou em nossos ouvidos. Eu duvidei, mas acreditei quando te anunciaram nos sinos das “catedrais”! Em nome de todos que não puderam reverenciá-lo pela última vez, obrigado Ricardo, por permitir-nos que fossemos seus alunos e amigos! Descanse em Paz!               

                                

                                     Ricardo Feldens 12-11-1943/01-09-2019

 

 

Notas

PLANO DIRETOR - A Prefeitura de Guaramirim, por meio da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano realizou ontem (6), a penúltima audiência pública de apresentação do Plano Diretor. O próximo (e último) acontece no dia 13 de novembro, na Câmara de Vereadores. Com ela, fecha as cinco audiências previamente programadas, onde os participantes se envolvem e discutem sobre este instrumento norteador da política de desenvolvimento municipal.

Vereador quer áreas de alagamentos mapeadas - O vereador Celestino Klinkoski mostrou preocupação com os alagamentos causados pelas chuvas do último final de semana em Jaraguá do Sul. Segundo ele, o volume de precipitação chegou a 55 mm no domingo à tarde e vários pontos da cidade sofreram com a água. Ele citou como exemplo um local no bairro Rio da Luz onde os moradores ficaram isolados por conta da enchente. O parlamentar lembra que já pediu à Prefeitura que restaure a tubulação da localidade e que troque por tubos novos, porém não foi atendido.

Klinkoski sugeriu que o município faça um trabalho de identificação dos locais de maior risco de alagamento. A partir desse mapeamento, a Secretaria de Obras poderá realizar a limpeza das tubulações e as obras de drenagem para evitar novos transtornos. O vereador também pede que a população ligue na Ouvidoria da Prefeitura (0800 642 0156) para que se possa fazer o mapeamento. Ele alerta que essa foi a primeira grande chuva que ocorreu neste semestre e que há muitas outras por vir com o verão que está por vir.

Estado vai duplicar trecho da SC-108 na região de Joinville - A ordem de serviço para início da obra de restauração e duplicação da SC-108, em Joinville foi assinada na terça-feira (5) pelo secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler. A iniciativa faz parte do programa Novos Rumos, um pacote de intervenções estratégicas do Governo do Estado para melhorar a infraestrutura catarinense.

O trecho, de pouco mais de 5 quilômetros, liga a BR-102 ao Distrito Industrial de Joinville onde estão localizadas mais de 200 empresas. O processo licitatório começou em 2017, mas só foi finalizado em 2018, aguardando desde então a ordem de serviço.

Atualmente sem qualquer manutenção, é por este trecho da rodovia que escoa boa parte da produção industrial do município. As obras se estenderão do entroncamento da BR-101 até a Rua Tenente Antônio João, passando pelas Ruas Hans Dieter Schmidt e Edgar Nelson Meister, e o acesso à Rua Dona Francisca.

 

Tubulação maior para escoamento - O vereador Arlindo Rincos (PSD) criticou a Administração Municipal em continuar implantando tubos de 40 centímetros em vias estruturais do município. Ele mostrou imagens que moradores fizeram no último final de semana mostrando alagamentos em vários pontos de Jaraguá do Sul. Segundo ele, as ruas foram alagadas com menos de meia hora de chuva intensa. Rincos lembrou que ele foi autor de um projeto de lei que proibia o município de implantar tubos com menos de 80cm nas vias estruturais da cidade, porém o projeto não foi aprovado porque esta é uma matéria em que apenas o Executivo pode deliberar. Ele pediu que a Prefeitura envie um projeto nos mesmos moldes para a Câmara, lembrando que o custo não sofre grandes variações pela bitola dos tubos.

Juraszek informa compra de saibreira - O vereador Eugênio Juraszek anunciou que o projeto de lei que vai permitir à Prefeitura comprar uma saibreira no Garibaldi na Câmara, o que vai possibilitar a retirada do material para a macadamização das ruas, principalmente nas áreas rurais. A ideia, segundo disse, é que o projeto seja votado ainda na sessão de quinta-feira (7). Juraszek observou que a luta para a aquisição é de oito anos, pelo menos. Outra observação refere-se à análise prévia do solo nas ruas que recebem pavimentação, o que dá segurança de que a deterioração não ocorra como até então.

 

Agenda

Ver todos