Quando um amor vai embora

Carla Nunes

Carla Nunes é jornalista, cronista e editora do JDV Digital. 

Ver artigos

Cada pessoa sente a perda de um amor, o término de um relacionamento de maneiras diferentes. Para uns, é como se a casa fosse roubada. É um golpe. Quem já teve a casa invadida sabe bem como é a sensação. É desconcertante. A gente fica meio desconfiado de tudo, vai dormir mais cedo, não quer sair de casa pra não correr o risco de outra invasão e não quer, de maneira nenhuma, que se fale sobre o assunto.

Outros ficam enlutados. O período de luto é doloroso, amargo e só há tristeza, lembrança e saudade. Quando as pessoas estão de luto, não se engane, elas querem sim falar sobre o falecido, querem que você pergunte como tudo aconteceu, porque talvez falando sobre o ente querido a distância diminua um pouco. Assim é para os enlutados de amor que não morreu, mas foi embora, o que é bem pior. Essas pessoas querem falar muito sobre o assunto ainda, querem contar porque terminaram, e lutam para não deixar que as pessoas mais próximas se esqueçam do defunto.  Não querem que ninguém esqueça que os dois tiveram um laço.

Em outros casos, a sensação pode ser igual ao desaparecimento de uma pessoa. É um tormento, porque você espera por noticias todos os dias. Em todo fim de tarde alimenta uma esperança de que ele (a) volte pra casa. É muito ruim reconhecer que acabou quando se tem esperanças de que alguém possa voltar.  E é bem isso, quando alguém some, as famílias nunca deixam de esperar até que o corpo apareça. Enquanto não constatarem com os próprios olhos que não há mais nada a fazer, vão esperar. E tem mais.  Há os que sofrem em ritmo de carnaval. Saem pra beber todas as noites, não perdem uma festa e não querem passar nem um dia sozinhos. Acho que esse tipo de reação é a mais covarde, mas enfim, também é um modo de externizar a dor. Mas isso, pra mim, é engolir o sofrimento em dose, demora mais pra passar. Autoflagelo. Não acredito que alguém se cure de um amor dessa forma. Engana a si mesmo.

Não dá pra esquecer dos bebês emocionais. Os bebês emocionais choram, esperneiam, tem ataques de raiva, perseguem o ser amado, fazem ameaças e não aceitam o fim. Ficam se debatendo, como um peixe fora da água. Quando nada resolve, começam a fazer chantagens emocionais. E principalmente, colocam a sua felicidade na responsabilidade do outro. A frase mais típica do bebê emocional é -você nunca me amou, -só vou ser feliz com você? e você só me usou.  Independente das razões do término não há nada mais infantil que isso. A palavra de ordem nesses casos em que o parceiro (a) aprontou, traiu, mentiu, foi embora é: ame-se a si mesmo.

Mas não posso deixar de fora deste texto, os que sofrem porque o amor foi embora deles, eles deixaram de amar, mas ainda não sabem como lidar com isso. Dedico este parágrafo aos que não tem reação nenhuma. Para aqueles que tanto faz, tanto fez. Para aqueles que fizeram tanto que agora tanto faz. Para os que se perguntam pra onde foi aquele amor todo? Aquela loucura? Foi embora, caro leitor, foi embora. Porque o amor também se despede.

Notas

Samae implanta ramal de esgoto na Rua José Narloch - O Samae iniciou ontem (18), mais uma obra para de implantação de rede de coleta com o objetivo de cumprir a meta de atingir os 90% de tratamento de esgoto sanitário no município em 2020. A implantação da rede e os ramais que ligam às residências na Rua José Narloch vai acontecer por um período de aproximadamente duas semanas – dependendo das condições climáticas –, num trecho de 800 metros entre as Ruas Afonso Benjamin Barbi e Dorval Marcatto. As intervenções devem ser no horário das 7h30 às 17h, período em que o trânsito fluirá em meia pista. Motoristas poderão utilizar desvios pelas Ruas Francisco Hruschka e Adelina Klein Ehlert. Após a conclusão das obras, a rua será repavimentada pela Prefeitura.

Prefeitura vai adquirir novo lote de estufas à agricultura familiar - A Secretaria de Desenvolvimento Rural e Abastecimento, por meio do Fundo Municipal de Incentivo ao Desenvolvimento Rural e Agricultura, lançou edital para registro de preços para seleção de propostas à aquisição de conjuntos de abrigos para produção agrícola (estufas) ao longo de 12 meses, destinados para incentivo à agricultura familiar de Jaraguá do Sul. Os envelopes com a documentação e as propostas devem ser entregues até o dia 27 de novembro. O valor máximo do orçamento é R$ 401.950,00. O Município vai adquirir várias unidades de abrigo para produção agrícola, com tamanhos diferentes e sistema de gotejamento para os canteiros, inclusive a cobertura. É o chamado cultivo protegido. Lançado em 2017, o Projeto Cinturão Verde é dividido em etapas. Já foram entregues estufas em 2018 e 2019 de tamanhos variados. Os participantes recebem capacitação, orientação e assistência técnica quanto a questão do plantio, do cultivo e a colheita. E também a organização do grupo de produtores.

Eleitos, Machado e Demarchi vão dirigir o IFSC Centro e Rau - O professor José Roberto Machado foi eleito diretor-geral do Campus Jaraguá do Sul-Centro. O novo diretor teve 419 votos de alunos, 17 votos de técnicos-administrativos e 37 de docentes, conquistando 52,82% dos votos válidos. Em segundo lugar ficou o candidato Élson Quil Cardozo, que somou 121 votos discentes, 24 votos de técnicos e 11 professores, alcançando 29,58% dos votos válidos. Servidores e estudantes participaram da votação realizada na quarta-feira, dia 13 de novembro. No IFSC Campus Rau, o candidato Delcio Luís Demarchi foi eleito o diretor-geral obtendo 57 votos de alunos, 23 votos de técnico-administrativos e 28 de docentes, conquistando 37,01% dos votos válidos. Por uma margem bastante pequena ele ficou à frente do candidato Gerson Ulbricht, que somou 39 votos discentes, 12 votos de técnicos e 26 professores, alcançando 36,90% dos votos. O resultado oficial foi divulgado na página oficial das eleições. A homologação do resultado deverá ocorrer no dia 16 de dezembro. A homologação é dada pelo Conselho Superior do IFSC. O mandato deverá iniciar em abril de 2020

Vereador defende grupo de brigadistas para escolas e creches - A necessidade de mais atenção quanto à segurança nas Escolas e Centros de Educação Infantil, no que se refere à prevenção de incêndios e outras possíveis ocorrências semelhantes, foi levantada na Câmara. Gruner mencionou a possibilidade de organização de um trabalho com medidas preventivas nas unidades educacionais. “Em caso de incêndio em uma escola, que atitudes devem ser tomadas pelos professores? Temos que criar mecanismos para que as pessoas possam ficar seguras”, ponderou, acrescentando que vai encaminhar ao Executivo uma indicação, com minuta de projeto, para criação de grupo de brigadistas para atender escolas com trabalhos de orientação e simulados de ocorrências. “A prevenção é a melhor arma”, alertou. Segundo Gruner o assunto foi debatido durante uma reunião com munícipes, em seu gabinete.

Município vai reformar escola e adquirir brinquedos às crianças - O Governo Municipal lançou edital para contratação de pessoa jurídica para prestação de serviços de engenharia com fornecimento de materiais e mão de obra, para reforma em uma área de 2.057,30 m² para troca de cobertura, de instalações elétricas e de cabeamento estruturado, na Escola Rodolfo Dornbusch, localizada na Rua Professor Irmão Geraldino, Bairro Vila Lalau.

As propostas devem ser entregues até o dia 29 de novembro, com abertura na mesma data. O valor máximo da contratação é de R$ 1.831.905,06. Outra licitação é para a compra de brinquedos diversos às escolas de educação básica e centros de educação infantil. As propostas serão abertas no dia 3 de dezembro. O valor de referência (orçamento) é de R$ 1.022.955,20.

Agenda

Ver todos