A PEQUENA ALEMANHA RENASCE PARA O TURISMO!

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

Minha apropriação por um jargão tão utilizado pelo marketing turístico me foi inspirador. Em geral, apelos publicitários, tais como: "Cidade mais alemã do Brasil ou Alemanha Brasileira", tornaram-se clichês reforçados pela mídia e, em minha opinião, impulsiona as possibilidades turísticas deste belo lugar. Foi inevitável prestar atenção à charmosa Pomerode durante o 15º Festival Gastronômico, quando percebi, quão empenhados estão os munícipes em transformá-la em um disputado Polo Turístico aos moldes de algumas conhecidas cidades gaúchas e fluminenses. Hoje em dia, o Turismo é uma das principais atividades econômicas em todo o planeta.

Talvez, ao recordar os eventos que transformaram a pacata vida de seus atuais trinta e poucos mil moradores em vocação turística, compreenderemos que nesta comunidade, houve um natural amadurecimento. Segundo a história, o início da colonização faz alusão ao ano de 1863, e o local a ser povoado fazia naqueles tempos, parte da Colônia Blumenau. O nome do município está ligado diretamente à origem de seus fundadores vindos da Pomerânia, situada ao norte da Alemanha. Lá, ao fundarem um povoado sobre terras ainda não desmatadas, recebia ele o sufixo roda, do verbo roden, que significa, roçar a vegetação. Do mesmo modo surgiu Pomerode, originalmente como Pommeroda, derivado de Roçado dos Pomeranos. Tanto na Pomerânia como em Pommeroda, aqueles que chegavam tiravam seu sustento da agricultura após roçarem os terrenos e organizar lavouras para se alimentar do que era plantado. Há mais de um século, os moradores vêm preservando os traços culturais herdados dos antepassados e retratados na arquitetura encontrada na cidade. O maior acervo de construções em enxaimel do país se encontra num trajeto denominado Rota Enxaimel, onde uma centena de casas tombadas pelo Patrimônio Histórico fascina o visitante. O comercio local exibe lojas tipicamente decoradas onde vendem de cristais aos famosos embutidos.

Além de sua história e fortes tradições, Pomerode oferece o Parque Educativo Vila Encantada, onde pais e crianças se divertem em meio a dinossauros, e um Zoológico de onde partem passeios em carros de mola puxadas por cavalos. Os Grupos Folclóricos e Clubes de Caça e Tiro, surpreendem com festas singulares e até inusitadas. A Festa Pomerana, Encontros de Motorhome, Osterfest, Natal Iluminado, Exposição de Automóveis Antigos e de Brinquedos, Rotas Ciclísticas e outros atrativos que, aliados a boa estrutura hoteleira, fazem de Pomerode um exemplo, destacando-se também, como Polo Gastronômico conhecido por Vale Europeu. Restaurantes ambientados nas tradições e no legado de seus antigos e atuais moradores, acolhem em trajes típicos o visitante para apreciar os sabores da conhecida culinária germânica. Confeitarias, Cafeterias, Fábrica de Chocolate, Cervejarias e os antigos e preservados bares e botecos, que com seus famosos cucas, doces e salgados tais como: heringsbrot e rollmops que se degusta com excelentes pingas, licores e cervejas, fazem desta cidade brasileira uma pequena Alemanha.

Enfim, Pomerode se prepara para tornar-se um ícone do Turismo Nacional. Mas, como chegou a este ponto? Como conseguiu manter suas tradições? Isolamento? Ou, quem sabe, seria devido as cercanias de mesma colonização? Ou por que conta com um acervo cultural ligado umbilicalmente a língua alemã e repassado de geração em geração nas escolas? Sorte? Ou talvez por ter uma população pequena o bastante para que a bagagem cultural fosse proporcionalmente absorvida em sua totalidade pelos habitantes? Com certeza, todos esses fatores fazem de Pomerode o que ela é! Talvez por isso, o município decidiu preparar-se para bem receber, e não o contrário, ao esperar que somente um aumento da demanda iniciasse um processo turístico. Ora, para que a demanda aumente, é necessário um conjunto de medidas entre a iniciativa privada e o poder público para atrair o turista. Quando não há atrativos, que se crie! Diversos empreendimentos vêm provando que estar no lugar certo, não significa necessariamente sinônimo de sucesso. Na verdade, o sucesso resulta da paixão de gestores públicos e empreendedores em consolidar algo que já existe através de ideias que, semeadas a seu tempo, germinarão em lugares muitas vezes de frutificação duvidosa. Exemplo disso, são vinícolas e conhecidos complexos gastronômicos fora do circuito tradicional. Pomerode está fazendo a lição de casa apresentando o que tem de melhor, e criando o que outras cidades não tem! Se atrais, é porque algo tens a oferecer!

Notas

PLANO DIRETOR - A Prefeitura de Guaramirim, por meio da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano realizou ontem (6), a penúltima audiência pública de apresentação do Plano Diretor. O próximo (e último) acontece no dia 13 de novembro, na Câmara de Vereadores. Com ela, fecha as cinco audiências previamente programadas, onde os participantes se envolvem e discutem sobre este instrumento norteador da política de desenvolvimento municipal.

Vereador quer áreas de alagamentos mapeadas - O vereador Celestino Klinkoski mostrou preocupação com os alagamentos causados pelas chuvas do último final de semana em Jaraguá do Sul. Segundo ele, o volume de precipitação chegou a 55 mm no domingo à tarde e vários pontos da cidade sofreram com a água. Ele citou como exemplo um local no bairro Rio da Luz onde os moradores ficaram isolados por conta da enchente. O parlamentar lembra que já pediu à Prefeitura que restaure a tubulação da localidade e que troque por tubos novos, porém não foi atendido.

Klinkoski sugeriu que o município faça um trabalho de identificação dos locais de maior risco de alagamento. A partir desse mapeamento, a Secretaria de Obras poderá realizar a limpeza das tubulações e as obras de drenagem para evitar novos transtornos. O vereador também pede que a população ligue na Ouvidoria da Prefeitura (0800 642 0156) para que se possa fazer o mapeamento. Ele alerta que essa foi a primeira grande chuva que ocorreu neste semestre e que há muitas outras por vir com o verão que está por vir.

Estado vai duplicar trecho da SC-108 na região de Joinville - A ordem de serviço para início da obra de restauração e duplicação da SC-108, em Joinville foi assinada na terça-feira (5) pelo secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler. A iniciativa faz parte do programa Novos Rumos, um pacote de intervenções estratégicas do Governo do Estado para melhorar a infraestrutura catarinense.

O trecho, de pouco mais de 5 quilômetros, liga a BR-102 ao Distrito Industrial de Joinville onde estão localizadas mais de 200 empresas. O processo licitatório começou em 2017, mas só foi finalizado em 2018, aguardando desde então a ordem de serviço.

Atualmente sem qualquer manutenção, é por este trecho da rodovia que escoa boa parte da produção industrial do município. As obras se estenderão do entroncamento da BR-101 até a Rua Tenente Antônio João, passando pelas Ruas Hans Dieter Schmidt e Edgar Nelson Meister, e o acesso à Rua Dona Francisca.

 

Tubulação maior para escoamento - O vereador Arlindo Rincos (PSD) criticou a Administração Municipal em continuar implantando tubos de 40 centímetros em vias estruturais do município. Ele mostrou imagens que moradores fizeram no último final de semana mostrando alagamentos em vários pontos de Jaraguá do Sul. Segundo ele, as ruas foram alagadas com menos de meia hora de chuva intensa. Rincos lembrou que ele foi autor de um projeto de lei que proibia o município de implantar tubos com menos de 80cm nas vias estruturais da cidade, porém o projeto não foi aprovado porque esta é uma matéria em que apenas o Executivo pode deliberar. Ele pediu que a Prefeitura envie um projeto nos mesmos moldes para a Câmara, lembrando que o custo não sofre grandes variações pela bitola dos tubos.

Juraszek informa compra de saibreira - O vereador Eugênio Juraszek anunciou que o projeto de lei que vai permitir à Prefeitura comprar uma saibreira no Garibaldi na Câmara, o que vai possibilitar a retirada do material para a macadamização das ruas, principalmente nas áreas rurais. A ideia, segundo disse, é que o projeto seja votado ainda na sessão de quinta-feira (7). Juraszek observou que a luta para a aquisição é de oito anos, pelo menos. Outra observação refere-se à análise prévia do solo nas ruas que recebem pavimentação, o que dá segurança de que a deterioração não ocorra como até então.

 

Agenda

Ver todos