PERVERSA TIRANIA - Parte 1

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

O mundo está vivendo a maior crise humanitária desde a Segunda Guerra Mundial. O número de refugiados aumenta a cada dia, e milhões de famílias sírias que antes viviam como qualquer um de nós, veem suas vidas devastadas em meio a conflitos e extrema violência. Subitamente, foram obrigadas a abandonar seus lares deixando tudo para trás ao partir em busca de sobrevivência percorrendo longos e ardilosos caminhos.

Em uma viagem pela Itália em 2013, portanto três anos após a deflagração do conflito na Síria, e dois anos antes do êxodo, percebi pelas ruas de Roma e de pacatas cidades provinciais, mulheres perambularem com suas crianças, muitas delas já órfãs, em busca de abrigo ou algo de comer! Aquelas mulheres sem maridos que delas a guerra estupida tirou, se abstinham de usar burcas, as vestimentas originadas do islamismo. De mãos estendidas em busca de “afeto monetário”, elas conseguiam alguma simpatia aliada a solidariedade da qual precisavam para seguir em frente, e sabe-se lá para onde! Tal qual pombos definindo-se por um Norte, esperavam pelo humanismo que o povo europeu já não lhes podia conceder. O mundo mudou, e estas pessoas empurradas por conceitos travestidos de piedade e pelas forças governamentais de quem já não as desejava, foram novamente rejeitadas. A rejeição como seres humanos em sua terra já os puniu o suficiente, e sabiam que fora dela seria pior. Não pertenceriam a nenhuma classe social, ninguém lhes daria emprego, seriam ninguém, seriam nada.

A mais cruel sensação humana é a da rejeição derivada da arbitrariedade política, étnica ou religiosa que impede o cidadão de ser aceito em sua própria terra. Só por isso, jamais deveríamos criar estereótipos sobre as mais diversas etnias! Iniciada a guerra civil, a repressão passou a destruir todas as ligações culturais e humanitárias com o ocidente. A fuga tornou-se rotineira em um país devastado pela visão da morte estupida e sanguinária, onde a luta pela vida transformou-se em uma obstinada utopia. Enquanto lá viviam, não imaginaram o quão distante o ocidente estaria à frente de seu tempo, e que não havia tempo para que muitos vivessem o bastante para ver chegar o tempo para o qual avançavam. Lá, restava a desesperança, a falta de princípios e principalmente, dignidade. O peixe preso à rede dos pescadores, obviamente carrega o cheiro do mar, e por isso é denominado de Ghurba. Esse termo árabe é utilizado pelos palestinos para expressar saudade da terra natal. Eles, ao sentirem-se privados de sua terra, sua história e sua identidade, deixaram de ser uma nação para transformarem-se em um povo sem pátria. Dentre eles, milhares foram forçados à diáspora (dispersão de um povo), outros se tornaram árabes de Israel, outros, depois da submissão à várias dominações estrangeiras, tornaram-se autônomos. Mas a que preço?  O custo de nada serem além de vítimas de uma história maior do que eles próprios, diante de uma luta pelo direito milenar de estabelecer-se em um ponto estratégico na mais rica região petrolífera do planeta.

Quanto a Síria, algumas respostas para sua situação antes da guerra e o que a levou ao conflito, seriam as mesmas da grande maioria de países flagelados por governos ideologicamente negligentes, que vão desde a insatisfação popular com a falta de liberdade, até as consequências econômicas que maltratam populações inteiras, a exemplo de Cuba, China, Venezuela, nações do norte africano e Coreia do Norte. Mas, na Síria, especificamente, o número de membros da oposição moderada foi superado pelo de radicais e jihadistas partidários da "guerra santa" islâmica. Entre eles estão o autointitulado Estado Islâmico e a Frente Nusra, afiliada à Al-Qaeda. Os combatentes do Estado Islâmico criaram uma "guerra dentro da guerra", enfrentando tanto os rebeldes da oposição moderada síria, quanto os próprios jihadistas da Frente Nusra e também os curdos que habitam imensa área dentro de área alheia, onde nos velhos tempos, nem ao menos sabiam eles, que eram curdos. Na verdade, a intenção do Estado Islâmico nada mais é do que procrastinar as pessoas, inclusive os próprios muçulmanos, maltratando-os através da imposição pelo medo, pela fome, e em seguida pelo poder através da força. Inegavelmente, trata-se de uma verdade, embora saibamos que os atuais acontecimentos não seriam coisas do Islã, e muito menos do Profeta Maomé!

Notas

Partidos buscam mulheres para se lançarem em campanha - Com o veto às coligações proporcionais, partidos políticos têm feito uma corrida interna para ampliar o número de mulheres dispostas a se lançar em campanha. Como a nova regra obriga a partir deste ano que cada legenda tenha, de forma independente, ao menos 30% de nomes femininos nas urnas, partidos que não alcançarem esse percentual vão ter de barrar homens na eleição. Se a cota feminina não for alcançada, a lista de homens terá de ser reduzida na mesma medida e a chapa será então proporcional. Em eleições anteriores, quando a cota do gênero já estava valendo, mas o veto às coligações ainda não, os partidos se coligavam e valia a média de candidaturas femininas do bloco. Na prática, uma legenda podia salvar a outra. Agora é cada uma por si. E além de estabelecer uma percentagem mínima de candidaturas de mulheres, as regras eleitorais determinam que os partidos destinem ao menos 30% de sua verba do Fundo Eleitoral para as campanhas femininas. A corrida por mulheres candidatas está acontecendo em todos os partidos.

Escola de gastronomia organiza duas oficinas - O Chef Gourmet, escola de gastronomia sediada em Jaraguá do Sul, está organizando duas oficinas para capacitação de interessados no universo gastronômico. No dia 22, o chef e professor Gabriel Leoni fala sobre melhores cortes de legumes e verduras para várias preparações e também como congelá-los. Já nos dias 28 e 29, é a vez de a chef Dominique Conceição ensinar aos participantes os segredos da preparação de ovos de Páscoa. As inscrições podem ser feitas pelos telefones (47) 9 9115-8506 e 3055-0679. Para saber mais, basta acessar www.escolachefgourmet.com.br ou seguir as redes sociais da marca.

Secretaria de Saúde promove audiência pública - Os resultados do último quadrimestre serão apresentados à população pela Secretaria de Saúde de Massaranduba na segunda-feira (24), a partir das 9h30min, na Câmara de Vereadores. O relatório dará também os números consolidados do ano. A audiência é o meio pela qual a comunidade pode acompanhar a execução da programação anual da saúde relativos a 2019 e os principais detalhes sobre recebimentos e aplicação dos recursos financeiros e prestação de serviços.

CARNAVAL – O Clube Atlético Baependi promove no dia 25, terça-feira, o carnaval infantil a partir das 14h, com animação do Dj Xalinho e tendo como atração o Robô Led. No local haverá food truck. Evento gratuito para sócios e não sócios a R$ 5,00. Até cinco anos é livre.

Centenário realiza a festa de rei e rainha - A Sociedade Desportiva Recreativa Rio da Luz II – Salão Centenário, realiza no dia 22, sábado, a festa de rei e rainha com baile, a partir das 18h com a concentração dos sócios e uma hora depois a busca das majestades, Muriel Cristo e Jehnefen Tonello (rei e rainha), Natalício Shimanski, David Horongozo, Cecília Schimanski e Tânia Fischer (cavalheiros e princesas). Aldoir Oldenburg será o comandante. O baile começa às 20h30min com a Banda GBD, posteriormente o Grupo Chama e para finalizar a noitada, o Grupo Talagaço. O valor por participante é R$ 35,00 com direito ao buffet, duas horas de bebidas livre (cerveja, refrigerante e água) e impresso para o baile. Quem for apenas para o baile pagará R$ 15,00.