PERVERSA TIRANIA - Parte 1

A J Marchi

Questionamentos evidentes, obviedades improváveis e banalidades incomodas. 

Ver artigos

O mundo está vivendo a maior crise humanitária desde a Segunda Guerra Mundial. O número de refugiados aumenta a cada dia, e milhões de famílias sírias que antes viviam como qualquer um de nós, veem suas vidas devastadas em meio a conflitos e extrema violência. Subitamente, foram obrigadas a abandonar seus lares deixando tudo para trás ao partir em busca de sobrevivência percorrendo longos e ardilosos caminhos.

Em uma viagem pela Itália em 2013, portanto três anos após a deflagração do conflito na Síria, e dois anos antes do êxodo, percebi pelas ruas de Roma e de pacatas cidades provinciais, mulheres perambularem com suas crianças, muitas delas já órfãs, em busca de abrigo ou algo de comer! Aquelas mulheres sem maridos que delas a guerra estupida tirou, se abstinham de usar burcas, as vestimentas originadas do islamismo. De mãos estendidas em busca de “afeto monetário”, elas conseguiam alguma simpatia aliada a solidariedade da qual precisavam para seguir em frente, e sabe-se lá para onde! Tal qual pombos definindo-se por um Norte, esperavam pelo humanismo que o povo europeu já não lhes podia conceder. O mundo mudou, e estas pessoas empurradas por conceitos travestidos de piedade e pelas forças governamentais de quem já não as desejava, foram novamente rejeitadas. A rejeição como seres humanos em sua terra já os puniu o suficiente, e sabiam que fora dela seria pior. Não pertenceriam a nenhuma classe social, ninguém lhes daria emprego, seriam ninguém, seriam nada.

A mais cruel sensação humana é a da rejeição derivada da arbitrariedade política, étnica ou religiosa que impede o cidadão de ser aceito em sua própria terra. Só por isso, jamais deveríamos criar estereótipos sobre as mais diversas etnias! Iniciada a guerra civil, a repressão passou a destruir todas as ligações culturais e humanitárias com o ocidente. A fuga tornou-se rotineira em um país devastado pela visão da morte estupida e sanguinária, onde a luta pela vida transformou-se em uma obstinada utopia. Enquanto lá viviam, não imaginaram o quão distante o ocidente estaria à frente de seu tempo, e que não havia tempo para que muitos vivessem o bastante para ver chegar o tempo para o qual avançavam. Lá, restava a desesperança, a falta de princípios e principalmente, dignidade. O peixe preso à rede dos pescadores, obviamente carrega o cheiro do mar, e por isso é denominado de Ghurba. Esse termo árabe é utilizado pelos palestinos para expressar saudade da terra natal. Eles, ao sentirem-se privados de sua terra, sua história e sua identidade, deixaram de ser uma nação para transformarem-se em um povo sem pátria. Dentre eles, milhares foram forçados à diáspora (dispersão de um povo), outros se tornaram árabes de Israel, outros, depois da submissão à várias dominações estrangeiras, tornaram-se autônomos. Mas a que preço?  O custo de nada serem além de vítimas de uma história maior do que eles próprios, diante de uma luta pelo direito milenar de estabelecer-se em um ponto estratégico na mais rica região petrolífera do planeta.

Quanto a Síria, algumas respostas para sua situação antes da guerra e o que a levou ao conflito, seriam as mesmas da grande maioria de países flagelados por governos ideologicamente negligentes, que vão desde a insatisfação popular com a falta de liberdade, até as consequências econômicas que maltratam populações inteiras, a exemplo de Cuba, China, Venezuela, nações do norte africano e Coreia do Norte. Mas, na Síria, especificamente, o número de membros da oposição moderada foi superado pelo de radicais e jihadistas partidários da "guerra santa" islâmica. Entre eles estão o autointitulado Estado Islâmico e a Frente Nusra, afiliada à Al-Qaeda. Os combatentes do Estado Islâmico criaram uma "guerra dentro da guerra", enfrentando tanto os rebeldes da oposição moderada síria, quanto os próprios jihadistas da Frente Nusra e também os curdos que habitam imensa área dentro de área alheia, onde nos velhos tempos, nem ao menos sabiam eles, que eram curdos. Na verdade, a intenção do Estado Islâmico nada mais é do que procrastinar as pessoas, inclusive os próprios muçulmanos, maltratando-os através da imposição pelo medo, pela fome, e em seguida pelo poder através da força. Inegavelmente, trata-se de uma verdade, embora saibamos que os atuais acontecimentos não seriam coisas do Islã, e muito menos do Profeta Maomé!

Notas

Amanhã é dia de cuca na Comunidade Evangélica Luterana da Vila Lenzi, das 6h às 11h. Mais informações e encomendas pelo telefone: (47) 3275-3063.

 

Na tarde desta quarta-feira (11), o deputado federal Carlos Chiodini, junto com o prefeito de Jaraguá do Sul, Antidio Lunelli, e o secretário de Administração do município, Argos Burgardt, se reuniram com o diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), André Kuhn, para solicitar a recuperação da malha viária da entrada de Jaraguá do Sul. Para o deputado, a obra estruturante de aproximadamente R$ 2 milhões é de extrema importância e vai melhorar o principal acesso à cidade.

 

Alunas destaques do concurso CDL na Escola são premiadas - A CDL - Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul entregou kits escolares para alunas e professoras vencedoras da etapa municipal do concurso CDL na Escola 2019. A iniciativa é uma parceria com a FCDL (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina), com apoio do Sicoob Cejascred. A aluna vencedora na categoria Redação foi Monize Eger D' Oliveira, do 9º ano da Escola Alberto Bauer, com apoio da professora Salete Miriam Coelho. Já na categoria Desenho, quem ganhou o prêmio foi Júlia Vicentin Pereira, do 4º ano da Escola Anna Töwe Nagel, com apoio da professora Andréia J. Renta. Além da premiação com os kits enviados pela FCDL, as alunas e professoras ganharam tablets doados pelo Sicoob Cejascred.

Centro de Especialidades Odontológicas terá um novo local - Está assegurado o valor de R$ 710 mil para reforço do orçamento do Fundo Municipal de Saúde para atender despesas com a implantação do Centro de Especialidades Odontológicas, no bairro Vila Lenzi. A iniciativa objetiva ampliar e manter a oferta física da rede de atendimento individual em especialidades odontológicas disponibilizando à comunidade maior acesso aos serviços de saúde. O crédito especial decorre da necessidade de se promover a desapropriação de imóvel para a implantação do Centro de Especialidades Odontológicas. O CEO sairá do Centro Vida, onde está instalado em local acanhado para o tamanho da demanda, para um espaço próprio próximo a unidade básica de saúde da Vila Lenzi.

Jogos Abertos provocam mudanças no calendário escolar 2020 - O vereador e professor Arlindo Rincos manifestou a sua preocupação em relação ao calendário escolar de 2020, em conversa com a secretária da Educação, Ivana Atanásio Dias. Devido à realização dos 60ºs Jogos Abertos de Santa Catarina, as férias do meio do ano foram alteradas para novembro, mês de realização do evento poliesportivo em Jaraguá do Sul. A preocupação, segundo disse, se deve ao cansaço e o desgaste que as crianças vão ter com um período tão longo de aulas. Ele também afirmou que os pais contam com as férias no meio do ano para programar viagens e folgas nas empresas onde trabalham. Segundo o parlamentar, as férias do final do ano também serão prejudicadas, já que o período letivo vai se estender até o dia 23 de dezembro. Devido aos Jasc, as escolas vão servir de alojamento aos atletas que virão de todo o Estado. O vereador sugeriu a antecipação da abertura do ano letivo em uma semana, mas em face da escala de férias dos professores, a sugestão não pode ser acatada.