Cultura,Educação,Geral

70 Anos da Escola EEB Euclides da Cunha- Registro histórico

Foto: Ademir Pfiffer

Em 06 de agosto de 2019, celebrou-se os 70 anos do antigo Grupo Escolar Euclides da Cunha (atual Escola de Educação Básica). À época, em 1949, se entregou o primeiro prédio escolar de uma escola pública com sede própria aquela comunidade rural. Atualmente, o território é um bairro misto, pois concentra indústrias diversas, conjunto de residências e prédios de apartamentos.

Em relação à memória da escola pública e catarinense em Nereu Ramos (antiga Retorcida), há primeira instituição era municipal de controle do governo de Joinville, pois de Hannover, Alemanha, em 1916, através da ordem religiosa Franciscana foi enviado ao Brasil, o cidadão Rudolfo Tepassé, com a missão de ministrar aulas, em uma comunidade teuto-brasileira.

O jovem Tepassé, desembarcou no porto de São Francisco do Sul e foi instalado em Joinville. Em seguida a Matriz da Igreja Católica instalou o professor estrangeiro em Retorcida, próximo a atual ponte de concreto armado. Destarte, iniciou-se a trajetória escola pública e municipal, que há registro documental, no Arquivo Histórico de Joinville.

Em 1939, iniciou a campanha da nacionalização da educação, gradualmente, o Estado, no transcorrer dos anos 40, assumiu o controle do ensino público em todo território catarinense, também a escola municipal de Nereu Ramos.

Por volta de 1946, o Senhor Leônidas Cabral Herbster, prefeito nomeado pelo interventor federal, Nereu Ramos, adquiriu um terreno para dar início da construção do Grupo Escolar, cuja edificação foi concluída em 1949 e inaugurado festivamente pelas autoridades públicas com a presença da comunidade.

Decorridos 70 anos de inauguração do prédio escolar, foram nomeados diretores: Zuleica Mansani, Emília Moretti Voltolini, Lotar Matos do Amaral, Odalzita Borges, Irmã Santa Mônica, Luciano Demarchi, Dulce Rau, Waltrald Lessmann Simon, Anita Marquardt Berti, Dilma Montagnoli, Gildo José Herdt, Ieda Maria Mohr Voltolini, Ademir Pfiffer, Rita de Cássia D.dos Santos, Ariovaldo Xavier dos Santos, Léo da Silva, Arlindo Rincos, Waldemar Spieker e Adriane Inês Grub.

No sábado, 10 de agosto, aconteceu a festa septuagenária, para celebrar o fato histórico local, marcado pelo desfile cultural e de reminiscências (Jazz Band Elite de Corupá), na Rua Pioneiro Luiz Sarti - trecho Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em direção ao educandário.

No evento a comunidade participou através de grupos organizados dos pais, ex-professores, ex-secretárias, ex-diretores, alunos, outros. Dessa forma, o momento se transformou em reencontro da comunidade ligada ao seu maior patrimônio, o da instituição escolar.

Terminado o desfile foi o momento de prestigiar a memória da trajetória do educandário, cuja equipe atual do quadro diretivo, professores, e APP, organizaram um museu de pequeno porte, nos moldes do associativismo pedagógico à época da campanha da nacionalização, na era Vargas e Ramos.

O conjunto de equipamentos, acervo documental (livros didáticos, boletins), fotográfico, arte, esportivo, revelaram a dimensão do educandário, na missão de difundir a identidade brasileira de diferentes culturas, focando o Currículo Oficial (Proposta Curricular de Santa Catarina), a dimensão de homem, cultura e sociedade.

Uma viagem no tempo, pois os recortes temáticos do museu de pequeno porte, mostrou a evolução da educação catarinense, para educar para responsabilidade de preservar o patrimônio maior do povo: educação e cultura.

Culminando o evento, também de congraçamento de gerações, no ginásio esportivo foi servida a feijoada, prato culinário, símbolo da identidade brasileira, marcou o almoço festivo. Em seguida foi servido o bolo comunitário a todos os convidados.

Durante o evento a Jazz Band Elite (regência, Lauro Wendörff), de Corupá (antiga Hansa Humbold), abrilhantou o almoço festivo, através de retratos e acordes da música folclórica germânica (blas musik) e do patrimônio nacional.

Em relação ao evento, registra-se os cumprimentos aos professores, direção e APP, pela organização, que retratou a unidade do grupo, em defesa do patrimônio da escola pública e catarinense.

A segurança e a hospitalidade marcaram o evento de celebração. Portanto, agradecer a nova geração de educadores, que fizeram da data magna, um momento único para fortalecer as relações comunitárias, institucionais e de sentimento de pertencimento a esta história.

Ademir Pfiffer – Historiador e ex-diretor da unidade escolar